Entre erros e acertos, um fato é inegável, o Festival Coolritiba consegue reunir todas as tribos e fortalecer o evento como um dos maiores do Paraná. Nesta edição, foram 16 atrações no lineup, divididas no Palco Coolritibal e no Palco Arnica. E ainda, o Palco Discool, com os DJs residentes das festas Funk You, Alter Disco e Trepanado Selvagem. Das novidades, parceria com diversas marcas de bebidas, tirolesa, e a redução de expositores no LABmoda – espaço dedicado aos empresários do setor.

Palco Arnica

Desde a primeira edição, em 2017, o Palco Arnica se consagrou por ser o mais procurado pelo público. Consecutivamente, a curadoria manteve a sua essência, e reuniu a nova fase da música brasileira, com pratas da casa como as bandas, Mulamba e Machete Bomb.

 

Embora a estrutura do Palco seja montada todo ano na entrada de acesso do público principal, depois de duas edições a produção do evento  já deveria ter se dado conta que a localidade do Arnica é a pior de todas. Não há mobilidade ao redor, principalmente para quem sai do Palco Coolritiba em direção ao Palco Arnica. Sem levar em consideração que todo o espaço do LABmoda é tomado pelo público com o intuito de assistir aos shows.

De outras regiões do país, o Palco Arnica contou com os shows de Letrux, Tiê, OTTO e Far From Alaksa. Porém, a performance atrasada de Flora Matos conturbou o desenvolvimento do Palco e do Festival. A apresentação da rapper brasiliense estava marcada para às 19h, mas foi substituída às pressas pelo o cantor e compositor, OTTO.

 

No Palco, o cantor pernambucano disse que Flora se apresentaria depois. Mas, não impediu a confusão gerada entre o público que assistiria o show do OTTO marcado para às 20h30 e todo o lineup da edição. Contudo, mesmo atrasada, os fãs de Flora Matos vibraram até o fim de sua apresentação, encerrando as atividades no Palco Arnica, por volta da meia-noite e meia.

No perfil oficial do Festival Coolritiba no Instagram, a equipe disse aos seguidores que lamentavam por toda a situação causada pela artista. “Fomos pegos de surpresa por esta decisão repentina, que foi tomada de forma unilateral pela artista, de não deixar o hotel para se dirigir ao local do evento no horário marcado (…) infelizmente não tivemos tempo hábil de confirmar as mudanças ao público“.

Palco Coolritiba

Sem mulheres, mas marcado pela diversidade sonora, com nomes consagrados e premiados da nova cena musical, os shows do Palco Coolritiba foram repletos de mensagens e refletiram o interesse do público por novos artistas.

Os cariocas da 1kilo e o paulista Criolo questionaram em cena, diversas realidades do país sobre o atual momento da cultura brasileira. Os rappers atraíram no Festival o maior número de pessoas ao Palco Coolritiba.

 

Pela primeira vez, muita gente assistiu ao show do cantor e compositor, Jão, consagrado em 2018 com dois singles de platina, o artista natural de Américo Brasiliense, interior de São Paulo, apresentou a segunda parte da Turnê Lobos.

Outro destaque do atual cenário, o cantor, compositor e músico multi-instrumentista, Silva cantou todos os seus hits e músicas do recente álbum Brasileiro (2018).

Sempre contagiante, quem deu voz aos seus clássicos, foi o estonteante Jorge Ben Jor, comprovando que não é lenda ser difícil para os músicos acompanharem a desenvoltura do artista com mais de 40 anos em cena.

Um dos momentos mais emblemáticos do Coolritiba, foi o show da banda brasiliense, Natiruts que levou todo o público do Festival ao delírio. O cantor e compositor,  Alexandre Carlo Cruz Pereira, realizou uma das grandes falas da noite durante a música Quero Ser Feliz Também, que um dia antes, completava 14 anos de lançamento. Confira na íntegra!

 

Encerrando o Palco Coolritiba, o DJ sul-mato-grossense, Lukas Ruiz apresentou debaixo de chuva forte o projeto Vintage Culture, motivando ainda mais os aficionados pela música eletrônica. Marcado por ensejos de respeito para um Brasil plural, o DJ encerrou seu set com a música Manifesto, sintetizando o que foi aclamado por todos os artistas no último dia de Coolritiba.

Um abraço pra quem é da ciência / um abraço pra quem é de Deus/ um abraço pra quem é da arte/ e um abraço pra quem é ateu/ axé pra quem é de axé, amém pra quem é de amém/ Blessed be pra quem é de magia e amor pra quem é do bem

Coolritiba 2020

A próxima edição foi confirmada. Porém, nas redes oficias do Coolritiba, o público foi categórico sobre as falhas desta edição. Entre os relatos, além de toda a confusão dos horários causados por Flora Matos. Os seguidores falaram sobre a inexistência de mulheres no Palco Coolritiba, o espaço pequeno de acesso para o Palco Arnica, a utilização do espaço LABmodas por parte do grande público para assistir aos shows do Palco Arnica justamente pela carência de infraestrutura, bebidas sem resfriamento, a demora na reposição dos bares e poucos locais para o depósito de resíduos, foram alguns dos mais citados.

Colaboração: (Carla Cabaña/Audiovisual e assistência)