O Sesi Cultura PR está com duas boas opções de exposição para este mês. Arte Digital na exposição “Laniakea” no Centro Cultural Sistema Fiep e o encontro  de cinco mulheres que resultou na exposição “A Espera”, pela Bienal Internacional de Curitiba, no Centro Cultural Sesi Heitor Stockler De França. Confira;

Exposição Laniakea é destaque  

A exposição “Laniakea/The Wrong – New Digital Art Biennale”, iniciativa do Sesi Cultura Paraná, estreia no Centro Cultural Sistema Fiep no dia 4 de fevereiro e fica em cartaz até 20 de março. A mostra tem um conjunto diversificado de artistas locais nacionais e internacionais, totalizando dez obras, de dez artistas diferentes de arte digital.

A curadoria é de Flávio Carvalho e a produção executiva, de Roberta Cibin. Serão promovidos também seminários com especialistas em cultura digital, artistas, makers, curadores de arte, pesquisadores, produtores, empreendedores tecnológicos, entre outros.

Em uma área anexa à exposição no Centro Cultural Fiep, o Centro de Pesquisas da Consciência promoverá sessões de relaxamento com meditação aplicada à realidade virtual. Assim, o público irá conhecer um novo modelo de bem-estar com o uso das tecnologias atuais.

Serviço

Exposição Laniakea

Data:  04 de fevereiro a 20 de março

Horários: 09 às 18h

Classificação: livre

Valor: gratuito

Local: Centro Cultural Sistema Fiep (Black Box) – Unidade Dr. Celso Charuri

Endereço: Rua Paula Gomes, 270

Com sucesso de público, ‘Blend’ apresenta primeira temporada

                                                                                                                                                                                                               

Exposição traz múltiplas linguagens para a Casa Heitor Stockler de França

A Bienal Internacional de Arte Contemporânea de Curitiba está presente no Sesi Casa Heitor Stockler de França. Sob a curadoria de Carolina Paulovski, um grupo de cinco mulheres artistas se reúne para pensar seu processo artístico e como ele se desenvolve ao longo de suas trajetórias. O resultado é a exposição “A Espera – Fronteiras efêmeras do processo artístico”. As artistas Ana Artigas, Giovana Casagrande, Leila Alberti, Sonia Vasconcellos e Verônica Filipak retratam nesta exposição seus percursos nos diversos territórios artísticos, discutindo seus universos particulares e apresentando trabalhos em diferentes materiais e técnicas, desde a solidez da cerâmica até as tramas do bordado e a pintura.

Serviço

Exposição “A Espera – Fronteiras efêmeras do processo artístico”

Datas: 01/02 a 17/02/2020

Horário: terça a sexta, das 13h às 17h

Valor: gratuito

Classificação: livre

Local: Centro Cultural Sesi Heitor Stockler De França

Endereço: Av. Mal. Floriano Peixoto, 458 – Centro

Observação: espaço sujeito a lotação (ingressos à venda no local 1 hora antes da ação)

Evento
12/02 – 18:30h – Conversa na Casa com a artista Sonia Vasconcellos, que recebe a psicanalista Priscila Frehse para falar sobre sua obra na exposição “A Espera”. Entrada gratuita. Espaço sujeito a lotação.

Mais informações:

www.sesipr.org.br/cultura

www.facebook.com/sesiculturapr

 

SESI CULTURA – Foi em 2008 que a Regional Paraná do Serviço Social da Indústria inaugurou uma área especificamente dedicada ao desenvolvimento de ações culturais ancoradas nas diretrizes previstas na Declaração Universal dos Direitos do Homem, como a diversidade, a pluralidade e a autonomia. Desde então, o Sesi Cultura Paraná tem promovido o acesso à cultura com foco em programas de formação artística e cultural, investindo em processos criativos, formação de plateia para todas as linguagens e na formação e desenvolvimento cultural com vocação local. O Circuito Cultural Sesi, o Festival Sesi Música, os Núcleos Criativos do Sesi, o Zoom Cultural, os Programas Sesi Música, Sesi Arte, Sesi Audiovisual e Sesi Artes Cênicas são exemplos de programas desenvolvidos pela Gestão Cultural do Sesi. De 2008 até 2019, mais de um milhão e duzentos e sessenta espectadores tiveram acesso à cultura por meio das ações culturais realizados pelo Sesi Paraná. Todas essas ações sempre tiveram como objetivo o acesso ao bem cultural para o trabalhador da indústria, seus dependentes e para a comunidade de uma forma geral, além da difusão da arte em todas as suas manifestações, valorizando a diversidade e a pluralidade do povo brasileiro.