A capital paranaense vai receber a sexta edição da Knife Show Curitiba – Feira e Exposição de Facas e Artigos de Cutelaria. O evento é um dos maiores do ramo na América do Sul, reúne mais de 90 expositores do Brasil, fabricantes de instrumentos de corte e perfuração, colecionadores, fornecedores e compradores do exterior.

feira de cutelaria
Divulgação

A feira acontece no sábado (29) e no domingo (30), na Rua Brasilino Moura, 474, bairro Ahú [no salão do antigo Cassino Ahú], em Curitiba. Os ingressos serão vendidos no local, custam R$ 15 para quem seguir o @knifeshowcuritiba e R$ 20 para os demais. O estacionamento é gratuito e são esperados mais de 3 mil visitantes de todo o Brasil e de outros países.

Espadas templárias e raridades em exposição

Entre as atrações já confirmadas na feira estão a exposição dos mais variados tipos de facas (militares, domésticas, customizadas, nacionais, internacionais, caça), punhais, navalhas, adagas, facões, machados, espadas templárias, peças raras, históricas e únicas.

Outros itens – como afiadores, bainhas, chairas, lixas, madeiras, couros, insumos de cutelaria, facas para churrasco e cozinha, acessórios, coleções especiais, ferramentas, canivetes, lâminas primitivas e indígenas – estarão expostos e poderão ser comercializados. Os preços variam de R$ 50 a até R$ 20 mil.

Palestras, sorteios, avaliações

Também haverá sorteios de prêmios aos visitantes, palestras sobre como afiar corretamente as facas de uso diário e aumentar o tempo de vida útil desses objetos, fabricação de facas para iniciantes – além de diversos outros assuntos – espaço com serviços de alimentação e chopp gelado.

O evento ainda terá demonstrações ao vivo de forjamentos [técnica milenar que transforma metais em formas desejadas] e métodos exclusivos de fabricação de instrumentos de cutelaria. Nestas ocasiões, o aço é colocado dentro de uma fornalha com temperatura a mais de 1000ºC. Depois é modelado utilizando uma marreta e bigorna, até se transformar em uma lâmina.

“O público pode trazer suas facas antigas – aquelas que estão na família há gerações – para que sejam avaliadas por especialistas do ramo. É uma diversão repleta de surpresas”, conta o organizador do evento, Marcelo Tokars.

Nas edições anteriores, um visitante trouxe uma Katana [espada japonesa usada por samurais] que estava na família há anos e os proprietários não tinham conhecimento da grandiosidade da peça, que foi avaliada em mais de R$ 5 mil.

Do artesanato à exportação

A cutelaria é uma atividade que se dedica à produção artesanal de utensílios cortantes como facas, tesouras, navalhas e uma infinidade de outros itens. Já os insumos envolvem lixas, pedras de afiar, madeira, pinos, couro e muito mais.

O Brasil tem cerca de 5 mil profissionais que atuam na cutelaria e o setor movimenta entre R$ 10 a R$ 20 milhões anualmente, com enorme potencial de crescimento. Só no Paraná, estima-se que são mais de 200 trabalhadores nesta área.

Em virtude da qualidade de fabricação, do acabamento refinado, dos materiais nobres e de alta complexidade utilizados – como aço carbono, aço inox, aço damasco, bambu, madeira de jatobá, pedras preciosas, ouro, madrepérolas, ossos, chifres – o Brasil exporta os itens e insumos de cutelaria para diversos países; especialmente Estados Unidos, Europa e Oriente Médio.

“Facas artesanais feitas sob encomenda por cuteleiros renomados são consideradas verdadeiras obras de arte. São peças excepcionais e valiosas que chegam a ser comercializadas no mercado internacional por valores entre R$ 10 mil até R$ 100 mil”, ressalta Tokars.

Quem consome cutelaria?

O cuteleiro atende a um grupo exigente e heterogêneo de clientes que vão desde colecionadores, médicos, advogados, engenheiros, caçadores, cozinheiros domésticos, chefes de restaurantes, escoteiros, quem pratica hobbies de jardinagem e churrasco e opta por equipamentos de altíssima qualidade.

Os fregueses englobam público de classe socioeconômica A e B, homens e mulheres com faixa etária a partir de 35 anos de idade.

“Cerca de 70% dos visitantes da feira chegam em grupos de três ou mais pessoas, seguidos por caravanas familiares”, conta o organizador.

Recentemente, a área ganhou força com séries de TV que mostram o universo da forja voltada à cutelaria e programas de gastronomia que enfatizam a importância de bons instrumentos de trabalho na cozinha.

Profissão: cuteleiro

Mesmo com tanta tecnologia disponível para as mais variadas profissões, o jeito artesanal de confeccionar facas é muito apreciado por quem utiliza ou coleciona esses instrumentos.

“A profissão de cuteleiro – que é o ferreiro especializado em instrumentos de corte – segue viva em Curitiba. Engana-se quem pensa que a atividade é coisa do passado. O cuteleiro atual é um artesão especializado no trabalho com metais. É a pessoa que cria objetos de ferro ou aço ‘modelando’ o metal com o uso de equipamentos pesados, forja, bigorna, martelos, dobra e corte”, explica Marcelo Tokars.

O organizador do evento enfatiza que o nicho de mercado consumidor cresce todos os anos, assim como o interesse por conhecer os profissionais que mais se destacam. Por isso, a Knife Show Curitiba vai reunir nomes consagrados da cutelaria brasileira como Milton Rodrigues, Silvana Mouzinho e Daniel Jobim – reconhecidos pela qualidade de seus trabalhos e participação em programas de TV que abordam o tema.

Faíscas e marteladas em fogo escaldante

Para quem não sabe e nunca viu como é produzida uma faca de alta qualidade, o evento terá duas demonstrações diárias de forja. No sábado (dia 29) as apresentações serão realizadas às 14h e 18h. No domingo (dia 30), às 12h e 16h.

Nestas ocasiões, os cuteleiros aquecem barras de metais em fogo escaldante – com temperaturas que chegam a mais de 1000ºC – para que as peças fiquem na cor vermelho-brilhante. Com um martelo, golpeiam as barras em cima de bigornas de aço para dar forma ao objeto desejado.

“Esse é o momento que sai faíscas para todos os lados e mais atrai público. É bonito de ver. Contudo, somente profissionais experientes e habilitados podem fazer esse processo com segurança e em locais apropriados. Do contrário, as pessoas podem se ferir com o calor excessivo, as fagulhas e o peso dos equipamentos”, adverte o organizador.

Leilão solidário para ajudar o Rio Grande do Sul

Para ajudar o estado do Rio Grande do Sul, os organizadores da sexta edição da Feira e Exposição de Facas e Artigos de Cutelaria farão um leilão solidário virtual, realizado por meio de uma live no Instagram @knifeshowcuritiba no dia 4 de julho, às 20h.

A peça em disputa será uma faca exclusiva, em peça única, confeccionada por cinco cuteleiros do Brasil durante um reality-show do segmento, que aconteceu na edição de 2022 do Knife Show Curitiba. Todo o valor arrecadado será doado às vítimas das enchentes.

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Curitiba recebe uma das maiores feiras de cutelaria da América do Sul neste fim de semana

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.