Campina Grande do Sul deverá ter a fila para as creches (de zero a três anos) zerada em 2020. O prefeito de Campina Grande do Sul, Bihl Zanetti, destacou ainda o primeiro lugar da cidade , entre os munícios metropolitanos, no índice Firjan, que atesta a eficiência da administração pública municipal dentre os cerca de 5 mil municípios brasileiros. Zanetti foi o convidado da semana do Jornal Metropolitano*, da Rádio Banda B.

Prefeito Bihl (à esquerda) em entrevista ao Jornal Metropolitano

De acordo com o prefeito, o bom resultado no Firjan é fruto de um trabalho responsável de toda a equipe. “Trabalho de uma equipe coesa e técnica. O índice avalia autonomia, liquidez, investimentos e despesas com pessoal. Tivemos nota máxima nos três primeiros índices. Isso mostra que somos um município menos dependente de empréstimos e com o CPF limpo”, destacou.

O trabalho de Bihl Zanetti começou já nos primeiros meses, em meio a uma crise econômica pelo qual o Brasil passava. “O maior desafio foi superar o período de maior crise, mantendo um ritmo de melhoria na cidade. Graças ao bom trabalho de outros prefeitos, pegamos as finanças equilibradas e mantivemos o mesmo ritmo. Precisamos continuar assim”, salientou.

Atualmente, os recursos da cidade vem principalmente do comércio (60%) e das indústrias (40%). “Temos algumas restrições ambientais e sabemos que podemos ainda crescer nestes dois âmbitos. 30% da nossa população ainda se desloca para trabalhar fora, mas o caminho inverso também acaba acontecendo”, explicou.

Zerar as filas

Ainda durante a entrevista, o prefeito destacou a entrega futura de dois SuperCmeis, nos Jardins Diamante e Paulista, que devem zerar a fila de espera por creches na cidade. “É um dever moral que temos. Diminuímos as faltas de vagas e agora estamos construindo dois SuperCmeis. Vamos zerar a fila de creche em 2020 e já temos os dados em mãos que mostram isso. Fruto de planejamento e empenho neste tema”, salientou.

Outro tema de destaque na educação é o contraturno escolar, mantendo os alunos sempre com atividades. “Isso é um foco bem grande de nossa gestão. Teatro, ballet, violão e fanfarra, além de esporte. Temos um trabalho com o Exército no Bacacheri no contraturno para os alunos. Temos muitas opções neste sentido”, afirmou.

Malha asfáltica

Outro ponto de destaque durante a entrevista foi a questão da malha asfáltica, na qual 92% da área urbana de Campina Grande do Sul estará asfaltada. “Neste sentido temos um grande apoio do governo estadual. Investimento em estrutura garante emprego e renda, além da questão de saúde e valorização dos imóveis. Por isso, tem sido um foco de nossa gestão”, apontou.

Também foi destacada a área da Saúde, especialmente o Hospital Angelina Caron, um patrimônio da cidade. “É um hospital de referência, com equipamentos de última geração e vidas sendo salvas diariamente. É um gerador de renda indireto, no turismo da Saúde, com vans, taxistas e pessoas vindo do interior, que também consomem o município”, lembrou.

Turismo e interiorana

Com a Represa do Capivari como ponto turístico e fazendo divisa com São Paulo, o município tem ainda uma característica interiorana presente. “Pesque -pagues, cavalgada, ciclismo e muito mais. Temos um município extenso e às vezes as pessoas não sabem, por isso estamos sempre buscando divulgar isso”, concluiu.

*O Jornal Metropolitano vai ao ar aos sábados às 23 horas e aos domingos a partir das 6 horas, pelo AM 550 e FM 107,1. A apresentação é de Elizangela Jubanski e Luiz Henrique de Oliveira.