O ponteiro do velocímetro do Pálio Weekend, que colidiu contra a traseira de um ônibus biarticulado na madrugada desta sexta-feira (9), travou em mais de 100 km/h e no carro haviam algumas bebidas alcoólicas. O acidente aconteceu no bairro Alto Boqueirão, em Curitiba, e o motorista do carro, Gabriel Pontes Rufino, de 23 anos, morreu no local.

Foto: Colaboração

De acordo com o delegado Leonardo Carneiro Bueno, da Polícia Civil, o motorista do biarticulado da linha Boqueirão/Rui Barbosa já foi ouvido. “Ele nos relatou que estava parado no semáforo, esperando abrir o sinal, quando sentiu uma pancada e ao verificar viu que o Pálio, com cinco ocupantes, tinha colidido contra o ônibus”, explicou.

O carro trafegava pela canaleta exclusiva para ônibus e veículos de emergência quando houve a colisão, conforme destacou Bueno.

“Fica o alerta não só para os condutores de veículo automotor, mas para ciclistas e pedestres que a canaleta é exclusiva para emergência e transporte coletivo. Existe um risco conduzir nessas vias”, pontuou.

Foto: Banda B

Além de comentar sobre a alta velocidade do carro e afirmar que no interior haviam bebidas alcóolicas, o delegado comentou sobre a condução de dois passageiros até a delegacia: “Dois dos passageiros do carro foram conduzidos à delegacia e apresentavam sinais visíveis de embriaguez”.

No entanto, o casal teria se sentido mal durante a oitiva e foi levado ao hospital para receber atendimento médico. A garota é adolescente e o rapaz tem 19 anos.

Investigação

O próximo passo da Polícia Civil, segundo Leonardo, é coletar imagens de circuitos de monitoramento próximo ao local do acidente e tentar conversar com possíveis testemunhas para entender como teria acontecido a colisão e, finalmente, definir a responsabilidade dos motoristas envolvidos.

Foto: Banda B

Acidente

O acidente aconteceu na rua Wilson Dacheux Pereira esquina com a Pastor Antônio Polito, pouco depois da meia-noite. Uma testemunha que viu o acidente disse que o carro estava na canaleta, que o motorista tentou desviar, mas atingiu em cheio a traseira do biarticulado. O motorista do Pálio não usava cinto de segurança, segundo o tenente Gustavo Fogaça, do Corpo de Bombeiros.

“Eu estava no sinaleiro, vi a pancada, eles deram com tudo na traseira do ônibus. A gente já viu uma fumaceira, desci do carro e fui lá ajudar. Todos estavam vivos, tinha batimento no motorista, tiramos os passageiros, mas infelizmente um não sobreviveu. Não pode andar na canaleta e isso é comum aqui, tem gente que não respeita e agora é uma vida que vai, muito triste”, lamentou a testemunha, o motorista Wagner Novais, em entrevista à Banda B.