O momento de união entre os prefeitos dos 29 municípios que formam a região metropolitana foi destacado pelo presidente da Assomec (Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Curitiba), Márcio Wozniack, que também é prefeito de Fazenda Rio Grande. Ele ressaltou, em entrevista à Banda B nesta quinta-feira (25), que o ‘decreto metropolitano’ foi tomado como base em 90% das decisões definidas pelas cidades e que os administradores municipais fizeram isso para preservar a saúde.

 

Como presidente da Assomec, Wozniack comanda o Fórum Metropolitano de Saúde (Foto: Divulgação)

 

“Temos um documento único agora. A grande vantagem é que conseguimos que, com todas as particularidades, os prefeitos chegassem a praticamente um consenso. Neste momento, preservou muito o olhar da saúde, não adianta pensar apenas na economia se não contermos o avanço da pandemia, porque as pessoas nas cidades estão morrendo. Temos que pensar na saúde para organizar melhor o sistema”, disse Wozniack, em entrevista à Banda B na manhã desta quinta-feira (25).

Todas as cidades restringiram a atividade comercial e de shoppings de segunda a sexta-feira, e a maioria optou por lockdown aos domingos, com o fechamento inclusive de mercados. Entretanto, São José dos Pinhais decidiu mantê-los abertos. Para Wozniack, estas particularidades são discutidas entre os municípios. “Importante destacar que ontem (24) tivemos uma reunião do Fórum Metropolitano de Saúde e o Governo do Paraná esteve presente, para que em cima do que os prefeitos fizeram, um novo decreto do governo possa ser feito nos próximos dias, ainda mais rígido para Curitiba e região metropolitana”, explicou.

O prefeito lembrou que o momento é de bastante tensão, ainda mais com a previsão de frio e umidade para as próximas duas semanas na região metropolitana. “Esta condição faz com que as doenças respiratórias aumentem, conflitando com quem está com o coronavírus. O cenário é preocupante e, até por isso, acredito que o Governo do Paraná tomará também decisões mais duras”, analisou.

Responsabilidade de todos

Na entrevista, o prefeito também destacou que não adianta apenas assinar decretos se a população não fizer parte disso. “A população precisa fazer a sua parte. A população precisa fazer a sua parte, e isso tem que virar um mantra. Vamos enfrentar isso, juntos! Se cada um fizer a sua parte, conseguiremos manter o sistema de saúde funcionando em equilíbrio com as atividades econômicas, que não podem parar. As notícias são positivas quanto ao desenvolvimento de uma vacina, mas serão mais alguns meses para isso. Até lá , a vacina se chama responsabilidade”, concluiu.

Para conferir os decretos cidade por cidade clique aqui.