Três empresas de medicamentos no Paraná são alvos de uma investigação que apura irregularidades na compra de testes para a covid-19 no Distrito Federal. Elas ficam em Curitiba, São José dos Pinhais e Maringá, norte do Estado. O cumprimento de nove mandados de busca e apreensão nessas empresas foi cumprido pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Paraná, na manhã desta quinta-feira (2). A ação é realizada em apoio à Operação Falso Negativo, do Ministério Público do Distrito Federal.

 

Testes rápidos apreendidos pelo Gaeco. Foto: Divulgação

 

O procurador de Justiça Leonir Batisti, coordenador estadual do Gaeco, explicou que os investigados podem ser acusados de lavagem de dinheiro e corrupção. “Essa investigação apura eventuais irregulares do procedimento no processo licitatório que envolvem testes para a covid-19, a existência de uma eventual associação criminosa, além de crimes como lavagem de dinheiro, corrupção ativa ou passiva, também uma investigação sobre cartel”, descreveu.

 

Testes rápidos apreendidos pelo Gaeco. Foto: Divulgação

 

Os mandados no Paraná foram cumpridas em três empresas e nas residências de seus sócios, investigados por possíveis crimes contra a ordem econômica (cartel), fraudes a licitação, lavagem de ativos, organização criminosa e corrupção ativa e passiva em contratos com a Secretaria de Saúde do Distrito Federal para comercialização de testes rápidos de sangue para detecção do coronavírus.

A operação acontece simultaneamente em oito unidades da Federação: além do Paraná e do Distrito Federal, também em Goiás, São Paulo, Bahia, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Santa Catarina.