Uma testemunha ouvida na Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran), em Curitiba, disse João Miguel da Silva Gribler, 10 anos, morto atropelado, correu repentinamente em direção à rua. A criança foi atingida pelo jovem motorista de uma caminhonete S10 de 19 anos, que parou para prestar socorro e aguardou a chegada da polícia. Ele realizou teste do bafômetro cujo resultado foi zero, prestou esclarecimento oficial na delegacia e foi liberado.

Foto: Banda B

Para o delegado Edgar Santana, as investigações apenas começaram, mas com relatos importantes para traçar de que foram aconteceu o atropelamento da criança. “O inquérito policial já foi devidamente instaurado, ainda na data de hoje fizemos a oitiva de duas testemunhas. Uma delas foi presencial, e nos informou que a criança teria saído de forma repentina e correndo de dentro de casa, e na sequência foi atropelada. O condutor também foi conduzido até aqui nossa delegacia e disse que estava a cerca de 40 km/h e de forma repentina viu um vulto e sentiu o impacto”, contou.

Foto: Banda B

Na delegacia, o motorista da caminhonete contou que parou imediatamente o veículo após o atropelamento. “Ele contou que desceu do carro, acionou o Siate e esperou a chegada da polícia. Ele permaneceu no local, realizou teste do bafômetro que deu zero, já que isso é de praxe”, completou Santana à Banda B. “Se comprovada alguma espécie de negligência, imprudência ou imperícia por parte do motorista, pode ser que ele venha a responder pelo homicídio culposo na direção de veículo automotor”, finalizou.