A Polícia Civil afirmou, nesta sexta-feira (21), que a Ecovia estava ciente da falta de visibilidade que a BR-277 tinha no dia em que ocorreu o grave acidente que deixou 8 mortos em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. De acordo com o delegado Fábio Machado, um motorista procurou a delegacia da cidade e, voluntariamente, entregou fotos e vídeos (veja abaixo) de um acidente de trânsito ocorrido às 7h do dia 1° de agosto, um dia antes da tragédia. Ambas as colisões aconteceram no quilômetro 75.

“A testemunha nos relatou que estaria conduzindo o veículo na casa dos 30 km/h, 40km/h, quando foi atingida na traseira por um motociclista. Ela parou, encostou o carro para atender o motociclista e, neste momento, foi atingida por um terceiro veículo. No vídeo que foi nos mostrado, categoricamente, não havia qualquer possibilidade de visibilidade. A imagem também mostra um funcionário da Ecovia socorrendo as vítimas no local. Ou seja, a Ecovia atuou naquele caso e tinha ciência das baixas condições de trafego”, explicou Machado.

 

 

O delegado ressaltou que a informação se tornou fundamental para o andamento das investigações, visto que o acidente ocorrido cerca de 30 horas antes já mostrava que havia neblina e a fumaça no local. “O que confirma a versão das testemunhas que moram naquela região, que compareceram à delegacia e apresentaram a versão que desde o dia 25, já havia fumaça e baixa visibilidade na rodovia”, afirmou.

Novos rumos

A Delegacia de São José dos Pinhais vai intimar novamente todos os funcionários da Ecovia para esclarecer o fato. O objetivo é descobrir o porquê do fato não ter sido mencionado nos depoimentos. “Segundo os motoristas daquela região, o fogo já estava no local desde o dia 25 e a neblina agravava a situação de visibilidade. Então, nós solicitamos a Polícia Rodoviária Federal (PRF) que apresentasse também todos os boletins de ocorrência naquele trecho da BR-277, entre os dias 25 e 10 de agosto, para saber se outros acidentes também aconteceram nesses dias. Com isto, poderemos esclarecer de vez se houve ou não negligência por parte da concessionária”, explicou Machado.

Foto: ERNANI OGATA/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO

Por fim, o delegado ressaltou que se isso for confirmado, os motoristas deveriam ter sido avisados que naquele trecho da rodovia não havia visibilidade e, se caso fosse necessário, o trecho deveria ser fechado. “Nós vamos pedir a prorrogação do prazo para o encerramento das investigações, já que é complexo, tem um elevado número de vítimas e diversas testemunhas para serem ouvidas.  Nós queremos resolver todas as dúvidas deste fato complexo que merece uma resposta à altura” concluiu à Banda B.

Vídeo

Veja as imagens do acidente no dia anterior à tragédia na BR-277.

A tragédia

O acidente na BR-277 aconteceu no dia 2 de agosto, em São José dos Pinhais, e envolveu 22 veículos. As colisões aconteceram por volta das 22h30. Entre os veículos – um caminhão, cinco motocicletas, 15 carros e uma viatura da Polícia Militar (PM). Cerca de dez ambulâncias foram acionadas. Ao todo, foram 23 feridos no local.

O acidente aconteceu no quilômetro 76, na pista sentido São José dos Pinhais. Segundo testemunhas, uma fumaça escura proveniente de queimadas às margens da rodovia teria ocasionado a falta de visibilidade dos motoristas na rodovia. O caminhão envolvido no acidente teria sido o último a colidir contra os carros e motociclistas, arrastando-os pela rodovia.