Uma fumaça que sai da terra, sem chamas, que não para nunca e exala um cheiro forte. Assim os moradores vizinhos a um terreno em São José dos Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba (RMC), descrevem a situação que convivem há pelo menos três meses.

O terreno com a fumaça misteriosa fica no bairro Parque da Fonte. Quando os moradores mexem na vegetação, a fumaça sobe ainda mais (ver abaixo). Mas tudo sem nenhuma labareda, apenas uma queima embaixo da vegetação que não termina nunca.

Fumaça é permanente no terreno há pelo menos 3 meses – Montagem Banda B

O metalúrgico Ailton Luiz da Silva, que mora em uma casa próxima ao terreno, conta que não pode abrir as janelas há meses por causa da fumaça.

“O problema é a fumaça constante e o cheiro forte de mato queimado. Tenho um filho recém-nascido de 10 dias e nem podemos abrir as janelas de casa. Quando o vento vira pra nossa direção piora, principalmente a noite. Nem roupa estendemos mais do lado de fora da casa porque fica cheirando queimado”, explica.

Fenômeno natural

O engenheiro ambiental do Instituto Água e Terra, Altamir Hacke, explicou à Banda B que o fenômeno que ocorre no terreno é natural conhecido como fogo subterrâneo, que é quando uma turfa (material orgânico constituído por elementos procedentes da decomposição de vegetais”, entra em combustão.

Este material é de cor castanha (escura ou clara, dependendo do tipo) e é muito rico em carvão.

“Quando temos uma área de várzea, úmida, ela é rica em matéria orgânica. Geralmente fica submersa, mas com a seca que estamos enfrentando, a água secou e toda a matéria orgânica entrou em decomposição. Como é uma vegetação rica em carbono, em contato com o oxigênio, qualquer faísca faz pegar fogo. É um fenômeno natural e tem que deixar queimar sozinho até acabar o combustível”, explicou o especialista à Banda B.

Não é possível prever quanto tempo mais o fenômeno irá durar no terreno.

Veja os vídeos feitos no local: