A Associação Paranaense de Enfermagem (Apenf) afirmou por meio de nota divulgada na tarde deste domingo (26) que a técnica de enfermagem Valdirene Aparecida Ferreira dos Santos, morta pelo coronavírus, era diabética, portanto parte do grupo de risco da doença. A entidade também diz que ela cuidou de um paciente infectado pelo vírus, na UTI do Hospital Marcelino Champagnat onde desempenhava suas funções.

Valdirene Aparecida Ferreira dos Santos (Foto: Reprodução/Facebook)

Valdirene tinha 40 anos e de acordo com boletim divulgado pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS) não tinha registro de comorbidades. Ela estava internada há mais de três semanas no Hospital Ônix.

Ainda de acordo com a nota da Apenf, Valdirene permaneceu trabalhando até 27 de março quando fez o último plantão. Para a presidente da Apenf, Rita Franz, a morte da profissional de saúde é avassaladora. “Cada número para nós tem rosto, nome, família. Estamos na linha de frente no combate a um vírus que pouco sabemos a respeito”, disse ela.

Esta teria sido a primeira morte por coronavírus de um profissional de saúde em Curitiba, segundo a Apenf.

O Hospital Marcelino Champagnat (HMC) foi procurado pela reportagem da Banda B e também lamentou a morte da colaboradora. Valdirene trabalhou no hospital por três anos, segundo a nota era “dedicada e muito querida por todos”.

Ela teria buscado o pronto atendimento e esteve internada na UTI, com quadro de dificuldade respiratória, piora no quadro clínico e diagnóstico confirmado para COVID-19. Como funcionária, teria recebido do HMC todos os recursos disponíveis para a assistência e comunicação com a família. Uma missa será transmitida virtualmente para que seus amigos, colegas e familiares possam prestar homenagens à Valdirene.

Já em nota publicada pelo Onix, consta que as informações sobre pacientes são restritas aos familiares e não serão divulgadas à imprensa.

Leia a nota da Associação Paranaense de Enfermagem na íntegra:

“É com pesar que a Associação Paranaense de Enfermagem comunica o falecimento da técnica de enfermagem Valdirene Aparecida Ferreira dos Santos, de 40 anos, internada há quase um mês na UTI do Onix Clinipam/ Grupo NotreDame em decorrência do novo coronavirus.

A técnica desempenhava suas funções na UTI do Hospital Marcelino Champagnat e cuidou de um paciente acometido pelo vírus. Valdirene era diabética, considerada grupo de risco, mas permaneceu trabalhando até 27 de março quando fez o último plantão, na UTI daquele hospital.

Para a presidente da Apenf, Rita Franz, a morte de Valdirene é avassaladora. “Cada número para nós tem rosto, nome, família. Estamos na linha de frente no combate a um vírus que pouco sabemos a respeito”.

Na nota publicada pelo Onix, consta que as informações sobre pacientes são restritas aos familiares e não serão divulgadas à imprensa. A Assessoria da Apenf ainda procurou o Hospital Marcelino Champagnat e a Secretaria Estadual de Saúde (SESA), mas ainda não recebeu posicionamento a respeito.

A Associação Paranaense de Enfermagem lamenta, mais uma vez, a morte da técnica de enfermagem Valdirene dos Santos e estende suas condolências à família.”

Leia a nota do Hospital Marcelino Champagnat na íntegra:

“Com profundo pesar, comunicamos o falecimento da nossa colaboradora Valdirene Aparecida Ferreira dos Santos. Ela lutou bravamente pela vida, da mesma forma que se dedicou para cuidar da saúde de centenas de pessoas junto com a valorosa Equipe de Enfermagem do Hospital Marcelino Champagnat (HMC). Esteve conosco durante três anos, sendo uma colaboradora dedicada e muito querida por todos.

Valdirene buscou o pronto atendimento e esteve internada na UTI, com quadro de dificuldade respiratória, piora no quadro clínico e diagnóstico confirmado para COVID-19. Como colaboradora, recebeu todos os recursos disponíveis para a assistência e comunicação com a família.

O HMC está organizando uma missa que será transmitida virtualmente para que seus amigos, colegas e familiares possam prestar homenagens à querida colaboradora.

Nossas sinceras condolências aos amigos, familiares e colegas de Valdirene.

Que São Marcelino Champagnat e a Boa Mãe a recebam e que ela descanse em paz.”