Diante dos relatos de festas clandestinas realizadas não só em Curitiba, como também na região metropolitana, o Sindicato das Empresas de Gastronomia, Entretenimento e Similares (Sindiabrabar) fez um pedido neste domingo (10) para que o Poder Público atue com mais rigor nestes tipos de evento. De acordo com o presidente da entidade, Fábio Aguayo, é necessário uma análise prévia em redes sociais para justamente evitar que os eventos venham a acontecer.

Foto: Reprodução SMCS

“Festas clandestinas sempre existiram, mas a gente percebe que nesta época em que clubes, baladas e casas noturnas estão fechadas, que as pessoas estão fazendo muitos eventos em chácaras, apartamentos, coberturas e locais secretos. Para a gente assusta quando usam nomes de estabelecimentos para a denegrir a imagem dos estabelecimentos e da categoria”, disse o presidente do Sindiabrabar.

Aguayo se refere a uma festa que supostamente foi realizada entre sexta e sábado (9) e que foi postada por um empresário nas redes sociais. Uma casa noturna chegou a ser responsabilizada pela realização, mas afirmou não ter qualquer participação na festa. “Muitos empresários estão passando sérias dificuldades, com encerramento de atividades e endividamento altíssimo. Temos previsão de retorno apenas para depois do inverno e ainda usam o nome dos estabelecimentos para estragar nosso setor”, lamentou.

Os vídeos que foram reproduzidos no Twitter neste fim de semana mostram dezenas de pessoas aglomeradas em um espaço pequeno, contrariando todas as recomendações de saúde neste momento de pandemia. Um dos vídeos chega ainda a mostrar uma pessoa pulando em uma piscina, mesmo com 10°C no período noturno, como a própria imagem mostra.

Para o presidente do Sindiabrabar, é necessário reforçar a fiscalização contra esses estabelecimentos. “Seria bom a Aifu (Ação Integrada de Fiscalização Urbana) ficar de olho nesses eventos clandestinos e não só em quem tem CNPJ. É uma movimentação de WhatsApp, Facebook e está rendendo dinheiro para muita gente”, concluiu.

Até a tarde deste domingo, a Prefeitura de Curitiba ainda não havia fechado o balanço de trabalhos realizados pela Aifu neste fim de semana. Novos dados devem ser divulgados nesta segunda-feira (11).

Na semana passada, três estabelecimentos, incluindo dois bares, chegaram a ser fechados por aglomerações. Denúncias de festas clandestinas podem ser feitas para a Polícia Militar pelo telefone 190.