Foto: Banda B

 

Com objetivo de simular uma situação real de acidentes e crise dentro do Shopping Curitiba, a Polícia Militar fechou um trecho da Avenida Sete de Setembro e um da Rua Brigadeiro Franco no começo da manhã deste domingo (2), no Centro. Por conta da movimentação do Corpo de Bombeiros, que prestou apoio ao trabalho, moradores da região questionaram a possibilidade de algo ter acontecido, mas toda a ação já havia sido previamente marcada.

Foto: Antônio Nascimento – Banda B

De acordo com a coordenadora de marketing do Shopping Curitiba, Manuela Cordeiro Lopes, esse trabalho é realizado anualmente e tem a intenção de fazer com que todos saibam quais medidas tomar em casos de risco. “O shopping investe em treinamentos de prevenções para o conforto de clientes e lojistas. Todos os anos fazemos esse trabalho para que todos saibam o que deve ser feito em uma ocasião real. Aqui o trabalho consiste no salvamento de vítimas, evacuação do prédio e procedimento interno de comunicação”, explicou.

Segundo Manuela, os moradores da região foram avisados da simulação, justamente para evitar qualquer tipo de incômodo.

Aperfeiçoamento

O tenente Bortolini, do Corpo de Bombeiros, comentou que esse é um tipo de trabalho importante para que os funcionários do shopping saibam o que fazer, mas é também um aperfeiçoamento para os próprios socorristas. “Aqui nós buscamos o envolvimento de todos, mostrando as técnicas utilizadas nas situações de resgate. Hoje a simulação foi referente a uma explosão na central de gás do shopping com múltiplas vítimas. Entre as vítimas, estaria uma retirada com cordas e um soterramento”, comentou.

A lojista Camila Hilário disse que considera o treinamento é essencial para que todos tenham tranquilidade. “Trabalhei 11 anos em indústria e já passei por situações reais, então é bom que todos tenham consciência do que pode ser feito. Fiz questão de vir até aqui nesse domingo”, disse.

Após a simulação, as ruas foram liberadas no local.