O Sindicato dos Servidores Públicos Federais em Saúde Trabalho Previdência Ação Social do Paraná (SindiPrevsp-PR) fez um protesto em defesa dos aposentados na manhã desta sexta-feira (24), em frente ao prédio central do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS), no centro de Curitiba. De acordo com o sindicato, o ato ocorreu para mostrar à sociedade o caos do setor.

Protesto em frente ao INSS de Curitiba – Foto Banda B

O SindPrevs afirma que os servidores são contrários a nomeação dos reservistas das Forças Armadas para atenderem nas Agências da Previdência Social. Ainda conforme o sindicato, “estas pessoas já têm remuneração e vão ganhar um ‘extra’ para realizar atendimentos (…) se for para trazer gente de fora para o INSS, deveriam convocar os aposentados do próprio INSS porque estes já sabem como proceder para atender e conceder os benefícios previdenciários.”, diz o sindicato.

“O INSS está vivendo um verdadeiro caos anunciado. A FENASPS, Federação Nacional de Sindicatos de Previdenciários, já vem denunciando desde 2014 que o INSS iria enfrentar o caos se não houvesse reposição do quadro de pessoal para realizar atendimento e concessão de benefícios. E os sucessivos governos nada fizeram para resolver este problema anunciado”, afirma.

 

A fila de espera no INSS é de 1,9 milhão. Esse é o estoque de requerimentos de benefícios que não foram respondidos dentro do prazo legal -45 dias.

A expectativa do governo é que até outubro o INSS tenha capacidade de analisar o fluxo mensal de pedidos de benefícios.

Há cerca de um ano e meio, eram 700 mil pedidos por mês. Esse fluxo mensal subiu para quase 1 milhão, segundo o governo, principalmente por causa da maior entrada de requerimentos por meio digital.

A expectativa é que até 2,5 mil funcionários do INSS sejam liberados do atendimento no balcão das agências com o auxílio dos militares.