Diante de uma alta expressiva nos casos de coronavírus, números que se consolidaram nos últimos três dias, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) voltou a reforçar o alerta para que todos os paranaenses mantenham as medidas sanitárias que evitam a propagação da doença. Segundo os boletins do órgão, de segunda a quarta-feira (11) o estado confirmou 4.344 casos e 113 mortes pela doença. Em entrevista à Banda B, o secretário Beto Preto lembrou que o momento não é de relaxar.

Foto: Ari Dias/AEN

“Vínhamos com números decrescentes, estávamos descendo na curva, mas nas últimas três semanas os números começaram a apontar para cima, o que se revelou verdadeiro nas últimas 72 horas, com a ampliação de novos casos de óbitos. Independente de estarmos entrando nas temperaturas mais altas do verão, o vírus continua em transmissão comunitária e, se não tomarmos cuidado, vamos acabar sendo atingidos”, explicou o secretário.

O Governo do Estado estima que 1,2 milhão de pessoas já tiveram algum tipo de contato, mas Beto Preto destaca que 10 milhões ainda não, o que mostra a necessidade de cuidados por todos.

Para a Sesa, alguns fatores explicam o crescimento de casos no momento: o feriado de 12 de outubro, o feriado de Finados e a campanha eleitoral, que provoca reuniões e aglomerações, mesmo que menores em tempos sem pandemia.

Eleições

Apesar de citar a campanha eleitoral como uma das causas de aumento de casos, Beto Preto elogiou o preparo do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) para o próximo domingo (15). “É um planejamento rígido, sério e tudo foi muito bem articulado. As pessoas devem votar, já que a eleição do prefeito, vice-prefeito e vereador decide o futuro da cidade. Talvez seja o exercício mais próximo da população. Então quero pedir que as pessoas votem, mas com segurança. Com máscara, evitando tocar superfície, levando a própria caneta e mantendo o distanciamento social”, disse.

Entre as principais medidas recomendadas para as eleições, está o distanciamento de 1,5 metro nas filas dos colégios eleitorais.

Ainda relacionando pandemia e eleições, a reportagem da Banda B questionou o secretário sobre posts publicados em redes sociais sobre novas medidas restritivas. Beto Preto não negou que algo pode ocorrer, mas garantiu que qualquer decisão tem como base critérios técnicos. “Hoje é muito mais difícil tomar medidas restritivas, já que estamos há oito meses em pandemia, mas não há relação com eleição. Se for necessário, vamos tomar, vamos orientar”, garantiu.

Aulas

Com o crescente no número de casos, outro ponto que acaba sendo comprometido é o retorno presencial das aulas. No final de outubro, o governador Ratinho Junior chegou a especular uma volta no segundo semestre de novembro.

Sobre o assunto, Beto Preto disse que não podemos perder o trabalho que foi feito até agora. “Tivemos 5,5 mil pessoas que perderam a vida, mas se não tivéssemos tomado algumas medidas, fatalmente teríamos muito mais. Estamos estudando algumas possibilidades, vamos retomar o assunto nos próximos dias, mas não podemos colocar pessoas em risco desnecessariamente”, enfatizou.

Cuidados

Para encerrar, o secretário estadual ainda reforçou que a Covid-19 ainda não tem tratamento. “Enquanto a gente não tiver um medicamento, como é o caso do Tamiflu para a gripe, enquanto não tivermos uma vacina, não vai haver a retomada da vida normal. Infelizmente não temos um tratamento pacificado, para ir até a farmácia e tratar a virose da Covid-19. Então, nós precisamos continuar nos acalmando, tomando as medidas necessárias e, quem puder, permaneça em casa”, concluiu.