Uma resolução da Secretária de Estado de Saúde, que ainda será publicada no Diário Oficial da União nesta quinta-feira, vai liberar o serviço de delivery por parte de restaurantes e lanchonetes instaladas dentro dos shoppings centers. A informação foi confirmada na tarde quarta-feira (9) pela assessoria de imprensa do Governo do Paraná. A reclamação dos empresários prossegue com relação às lojas que não são de alimentos, já que isso não foi mudado na nova resolução e o delivery, take away ou drive-thru permanecem proibidos para elas.

Imagem Ilustrativa (Foto: Divulgação)

 

O presidente da Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar), Fabio Aguayo, agradeceu a sensibilidade por parte do secretário de Saúde, Beto Preto, e do governador, Ratinho Jr. “Agradecemos a sensibilidade em dar esta autonomia aos estabelecimentos de shoppings centers para atender por delivery. Isso vai dar uma chance, não vai salvar o que está sendo perdido, mas ajudar na questão de girar um pouco no caixa e não haver o desperdício”, afirmou.

Agora, Aguayo espera que o decreto restritivo não seja prorrogado para 21 dias. “Estamos buscando sensibilizar o poder público para o quanto antes terminar a quarentena e que ela não seja renovada para 21 dias. Tem muitos colegas partindo pela pressão que não está sendo fácil”, disse.

“Absurdo”

Ontem em entrevista à Banda B, a presidente do ShindiShooping (Sindicato dos Lojistas do Comércio Estabelecidos em Shopping Centers de Curitiba), Carolina Assis, classificou como ‘um absurdo’ o fechamento de quatro shoppings da capital sob a alegação de que estavam descumprindo as regras da quarentena. Foram autuados o Pátio Batel, Crystal, Mueller e ParkShoppingBarigui, porque segundo a Prefeitura de Curitiba o decreto determina, entre outras medidas, a suspensão de funcionamento dos shopping centers. A denúncia, confirmada pela vigilância, era de algumas lojas estavam fazendo atendimento via delivery, take away ou drive-thru, que também estão proibidos.