A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) estuda liberar o retorno às aulas presenciais a partir do próximo dia 19 de outubro. Inicialmente, como prevê o plano-piloto da Secretaria Estadual da Educação (Seed), o retorno ocorreria apenas em regiões com menor incidência de casos e de mortes. Há uma sinalização para possível retorno em três regiões do Paraná: Irati, Guarapuava e União da Vitória.

Foto: Divulgação Alep

“Isso vamos fechar nos próximos dias com a possibilidade de retorno no dia 19 de outubro nessas áreas, nestes colégios estaduais. Claro que com o rodízio de alunos, respeitando tudo aquilo que está escrito na resolução SESA 632, que implica em distanciamento social, medidas de cautela e lavagem das mãos, tudo aquilo que a gente vem falando nos últimos sete, oito meses. Devemos bater o martelo nos próximos dias, com a anuência do governador Ratinho Júnior, começando por plano-piloto de 15 dias nas áreas que temos menos incidência de novos casos e óbitos”, disse o secretário Beto Preto.

O possível retorno ocorreu durante audiência de prestação de contas na Assembleia Legislativa do Paraná.

Além do Governo do Estado, há um expressivo número de entidades que participa da elaboração do protocolo, que seria válido para as redes estadual e privada. Entre os pontos discutidos, está a liberdade para pais que optem por não enviar os filhos às aulas, garantindo assim o ensino remoto até pelo menos dezembro. Para os que optarem por ir às aulas, o objetivo é garantir ensino híbrido e permitir o distanciamento social nas escolas.

Beto Preto ainda não informou em quais regiões o retorno ocorreria, mas um ponto importante apontado é a taxa de infecção inferior a 0,8.

Outro ponto destacado pelo secretário Beto Preto é que o retorno aconteça simultaneamente nas redes pública e privada. “Isso é democrático e nivela o conhecimento” afirmou.

As aulas estão suspensas no Paraná desde o mês de março.