A Companhia de Habitação Popular de Curitiba (Cohab) deve anunciar nos próximos dias uma medida que vai possibilitar que beneficiários prorroguem as parcelas da casa própria por até 90 dias. A medida está prevista no Programa de Retomada Econômica Pós-Pandemia de Curitiba, que foi aprovada pela Câmara Municipal, e aguarda sanção do prefeito Rafael Greca. O impacto total para a administração municipal com a suspensão é estimado em R$ 18 milhões.

Foto: Daniel Castellano / SMCS

De acordo com o diretor-financeiro da Cohab, Edmundo Veiga, a Cohab tem tomado medidas que visam proteger os mutuários. “A ideia é a seguinte: fazer a postergação em até 90 dias. O mutuário terá que solicitar expressamente a solicitação, dizendo se precisa por 30, 60 ou 90 dias e, nesse período, não será cobrado nem juros ou mora. Após o período, retoma-se a cobrança como atualmente. O único pré-requisito é que o mutuário esteja em dia”, explicou.

A Cohab atualmente atende cerca de 8 mil famílias e estima que grande parte irá procurar se beneficiar do programa. “É uma medida que visa dar um fôlego em dar uma desoneração que impacta mensalmente”, disse o diretor-financeiro.

Pandemia

Desde o início da pandemia, a Cohab tomou medidas para beneficiar os mutuários. Entre elas está o atendimento virtual, que foi incrementado.

Segundo Veiga, a inadimplência não foi tão grande, mas mesmo assim houve impacto. “A nossa inadimplência é de certa forma constante, na faixa de 30% a 40%, então o aumento não foi grande, já que as parcelas não são muito altas”, concluiu.

A sanção de Greca para a prorrogação deve acontecer até o início da próxima semana.