O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial, ficou em 0,19% em agosto deste ano. A taxa é a mais baixa para meses de agosto desde 2010 (0,04%). A taxa ficou abaixo dos 0,24% de julho deste ano e dos 0,44% de agosto do ano passado.

Segundo dados divulgados hoje (6) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IPCA acumula taxa de 1,62% no ano, a menor acumulada para o período desde o início do plano real, em 1994. Em 12 meses, a taxa acumulada chega a 2,46%, abaixo do piso da meta de inflação, que é de 3%.

Os alimentos foram os principais responsáveis pelo recuo da inflação em agosto, com uma queda de preços de 1,07% no mês. O grupo de despesas comunicação teve uma deflação (queda de preços) de 0,56%.

Por outro lado, os transportes (com inflação de 1,53% no mês) e habitação (0,57%) foram, mais uma vez, os responsáveis por evitar uma queda maior do IPCA.

Compras das famílias

O INPC, que mede a variação dos preços da cesta de compras de famílias com renda de até cinco salários mínimos, registrou deflação (queda de preços) de 0,03% em agosto deste ano.

A taxa é inferior ao registrado pela inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, em agosto (0,19%) e pelo próprio INPC em julho (0,17%).

De acordo com dados divulgados hoje (6) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o indicador acumula taxas de 1,27% no ano e de 1,73% em 12 meses.

Em agosto, os produtos alimentícios tiveram uma deflação de 1,18%, enquanto os não alimentícios registaram uma inflação de 0,48%.