Solicitado a pedido da Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran), o relatório de atendimento do Corpo de Bombeiros contesta o depoimento do motorista Fernando Rocha Fabiani e aponta outra pessoa como responsável pelo pedido de socorro após o atropelamento da jovem Caroline Beatriz Olímpio, de 19 anos. O documento foi anexado ao processo na noite desta terça-feira (31). A defesa de Fernando, porém, contesta o documento e diz que é comum que mais pessoas peçam socorro ao Siate [Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência] após acidentes como esse.

Reprodução

Para o advogado Jeffrey Chiquini, que atua como assistente de acusação no processo, o relatório mostra que Fernando mentiu em depoimento prestado à Justiça.

Já para a defesa, que enviou nota à Banda B na manhã desta quarta-feira (1), o momento é de aguardar o devido deslinde processual, com a prudência e o respeito devidos. “A defesa de Fernando Rocha Fabiani reitera as medidas tomadas pelo mesmo após o lamentável fato, inclusive a sua solicitação, via telefone, para atendimento do Siate. Evidente que, quando acontecem fatos lamentáveis como este, é absolutamente comum que mais de uma pessoa interessada mobilize o Siate, por meio do canal 192. Justamente por isso, a defesa já requereu ao juiz do processo que oficie os órgãos responsáveis para a comprovação da ligação realizada”, dizem os advogados Thaise Mattar Assad e Vicente Bomfim.

Em audiência de custódia, Fernando garantiu que permaneceu no local após o atropelamento e que imediatamente pediu socorro ao Corpo de Bombeiros.

Velocidade

De acordo com laudo do Instituto de Criminalística, Fernando estaria dirigindo a uma velocidade de 114,52 km/h na Rua Pedro Viriato Parigot de Souza. Para a Dedetran e o Ministério Público do Paraná (MP-PR), ele estaria disputando um racha contra Nicholas Henrique Castro. O mesmo laudo aponta que Nicholas estaria dirigindo a uma velocidade de 88,70 km/h.

Caroline estudava Arquitetura e Urbanismo na UTFPR. Ela estava voltando da faculdade depois de tentar tirar um xerox quando foi atropelada por Fernando, que dirigia um veículo UP TSI.

O atropelamento aconteceu em frente à Universidade Positivo, no Câmpus Ecoville.