(Foto: Arquivo CMC)

A Câmara Municipal de Curitiba (CMC) lamenta, com pesar e profunda tristeza, o falecimento do ex-vereador e radialista Luis Ernesto Alves Pereira, na manhã desta quarta-feira (6), em decorrência de um infarto. O velório será no plenário do Palácio Rio Branco, sede do Legislativo, a partir das 20h30. O sepultamento acontece às 10h da quinta-feira (7), no Cemitério Municipal.

“Luis Ernesto foi um vereador muito importante para a cidade de Curitiba, muito atuante, prestativo, um vereador que sempre olhou para frente, procurava as soluções para os problemas da nossa cidade. Foi dessa forma que ele melhor contribuiu com o desenvolvimento da cidade”, disse Tito Zeglin (PDT), primeiro-vice presidente da CMC. “Ele sempre foi muito sincero, honesto, tinha boa vontade e cuidava do seu mandato com zelo e precisão. Ele merece nosso carinho e respeito”, complementou. A Câmara Municipal de Curitiba deixa condolências e solidariedade pela perda à família.

Luis Ernesto nasceu em Curitiba, em 29 novembro de 1942, e atuou em diversos momentos no Legislativo entre os anos de 1989 e 2008. Fez parte da 10ª legislatura (1989-1992); da 11ª (1993-1996), quando assumiu por meio de mandado de segurança; da 12ª (1997-2000); da 13ª (2001-2004); e 14ª legislatura (2005-2008), como suplente de Rui Hara – em dois momentos: quando Hara se afasta para assumir uma secretaria municipal e depois quando foi eleito deputado estadual. Luis Ernesto teve atuação na Câmara de Curitiba em benefício da área do esporte e a pavimentação das ruas da cidade.

O ex-vereador protocolou 44 projetos na CMC, sendo que 16 tornaram-se leis municipais. São de sua autoria o pagamento parcelado de débitos decorrentes de multas de trânsito de alçada municipal e o Dia do Acupunturista, comemorado em 23 de março, por exemplo.

Outras propostas não chegaram a ser aprovadas. É o caso de uma iniciativa que tratava do alvará de funcionamento das academias de ginástica, arquivada devido ao final da legislatura . Além da graduação no curso de Educação Física, a matéria propunha que os professores fossem registrados na confederação da atividade ministrada – de judô, por exemplo.

Em 2003 e em 2005, durante a 13ª e a 14ª legislaturas, respectivamente, Luis Ernesto presidiu a Comissão de Economia, Finanças e Fiscalização da CMC. Em um de seus pedidos de informações à Prefeitura de Curitiba, ele questionou a frota da Guarda Municipal . Quanto às emendas parlamentares individuais, destacam-se as proposições voltadas à pavimentação em diferentes bairros da cidade, como Santa Cândida, Cajuru e Sítio Cercado.

Radialista

Luis Ernesto iniciou a carreira profissional na antiga Rádio Guairacá, em 1957. Trabalhou na Rádio Estadual do Paraná, participando da formação das Escolas Radiofônicas, através de cursos realizados em cooperação com os Irmãos Lassalistas. Em 1957, passou a atuar na Rádio Cidade, então Rádio Curitibana, exercendo as funções de operador, locutor, diretor de programação, diretor-geral, superintendente das rádios Cidade AM e Studio 96 FM, de Curitiba e Cascavel. Foi diretor de rádio e TV no Departamento de Audiovisual da Secretaria de Educação do Estado. Na função, ministrou cursos sobre o tema pelo Estado a respeito do uso de equipamentos audiovisuais na educação.

Entre 2008 e 2017, apresentou um programa na Rádio Mais, em São José dos Pinhais. Atualmente, Luis Ernesto apresentava o programa Acesso Livre, transmitido ao vivo pelo Facebook e pela Central TV, canal fechado da NET. A última edição foi nesta segunda-feira (veja aqui).