A prova objetiva do PSS (Processo Seletivo Simplificado), neste domingo (10), reuniu mais de 34,3 mil candidatos com abstenção de 12,74%, informou a Secretaria de educação do paraná (Seed). Foram 198 locais de prova em 30 cidades do Paraná. Os candidatos, que concorrem a vagas de professor temporário da rede estadual neste ano letivo, tiveram 2h30 para concluir a prova, caso tivessem optado por uma disciplina, e 4 horas, se optado por duas.

Foram 198 locais de prova – Foto AEN

O teste foi iniciado às 14h15 e parte dos professores deixou os locais após 1 hora, tempo mínimo da avaliação.

A folha de resposta digitalizada ficará disponível no site do Cebraspe (www.cebraspe.org.br/concursos/seed_pr_20_professor), empresa responsável pela aplicação da prova, assim como o gabarito preliminar, que será divulgado nesta segunda-feira (11) às 21 horas. Os candidatos não puderam levar para casa o gabarito ou anotações, conforme determinado pelo edital.

Contratação

O edital do processo seletivo prevê a contratação de pelo menos 4 mil profissionais para lecionarem nas unidades do estado em 2021. Na prática, contudo, ao longo do ano, essas vagas serão ampliadas, chegando às mesmas 20 mil vagas temporárias de 2020. Os salários podem chegar a até R$ 3.720. Aproximadamente 40 mil dos 47 mil candidatos tiveram a inscrição deferida para realizar a prova.

Provas do PSS aconteceram neste domingo – Foto AEN

Medidas

Entre as medidas sanitárias adotadas para a realização da prova estavam a higienização prévia dos locais de teste e disponibilização de álcool em gel para manuseio de objetos e em locais de circulação.

O uso de máscara foi obrigatório, e todos os candidatos e funcionários passaram por verificação de temperatura na entrada. Os candidatos também receberam orientações para o distanciamento social na chegada e as carteiras tiveram espaçamento mínimo de 1,5 metro.

O Cebraspe escalonou a chegada dos candidatos em quatro horários diferentes para diminuir a circulação de pessoas nos locais de aplicação e evitar qualquer tipo de aglomeração.

Foram selecionados locais com amplas janelas para favorecer a circulação de ar. As janelas permaneceram abertas durante todo o período de aplicação de provas, condicionada aos fatores climáticos. O uso de aparelhos de ar condicionado foi proibido. Além disso, em cada sala foi informada a capacidade máxima do espaço e o quantitativo de pessoas alocadas naquele ambiente.

Justiça

A prova aconteceu com autorização da Justiça, que negou três ações que pediam a suspensão do processo. Nos autos, a Secretaria de Estado da Educação justificou todas as medidas legais que amparam a aplicação da prova, bem como as medidas de prevenção que serão adotadas pelo Cebraspe, empresa responsável pela avaliação.

Em dezembro, quando o cenário epidemiológico do Estado apresentava patamares superiores aos atuais, a prova foi adiada por duas vezes.

O Ministério Público do Paraná (MP-PR) e a APP-Sindicato criticaram a realização da prova, já que entendem que o momento epidemiológico não é propício para encontros presenciais.