Uma manifestação, pedindo justiça pela morte da motociclista Jessica Estefany Mender Weber, reuniu familiares e dezenas de motoboys em frente a sede da Prefeitura de Curitiba, no bairro Centro Cívico. A reunião pacífica aconteceu dois dias após o acidente fatal que matou a mulher de 30 anos, no bairro Alto da XV, na esquina da rua José de Alencar com a avenida Marechal Deodoro. Após o protesto na praça Nossa Senhora de Salete, os manifestantes seguiram até o local do acidente.

 

Família e motoboys se reúnem em memória de . Foto: Marcelo Borges/Banda B

 

Segundo a Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran), ainda na noite de domingo (3), um militar do exército que dirigia o veículo UP que atropelou a motociclista, foi preso. No local, ele realizou o teste do bafômetro e não apresentou o teor alcóolico acima de 0,34 miligramas (mg) para que a prisão em flagrante fosse realizada.

De acordo com testemunhas, a batida (veja o vídeo no link abaixo) foi tão forte que a vítima foi arremessada por cima da grade de um condomínio, vindo a falecer com o impacto contra o chão do estacionamento.

À Banda B, o também motociclista Rubens Rodrigues lamentou que Jéssica tenha sido mais uma vítima de um acidente com motos na cidade. “Ela, infelizmente, já começou o ano e teve a vida retirada. Queremos evitar ao máximo estes acidentes e fatalidades. Já perdemos outros colegas e amigos pela mesma situação”, iniciou Rodrigues. “Nós estamos a mercê de motoristas embriagados que matam pessoas. Parece que isto ficou comum e falta segurança. Pedimos que não tenha mais mortes nesta cidade. Graças a Deus, os motoboys de Curitiba são unidos”, completou à Banda B.

Família

A família de Jéssica acompanhou o protesto pacífico realizado na tarde desta terça-feira (5).

 

Dona Silene, mãe de Jéssica, é homenageada pelos motoboys. Foto: Marcelo Borges/Banda B

 

Para a mãe da vítima, Silene Moraes da Silva, o único pedido para ser feito neste momento de luto, é o de justiça. “Que ele responda pelo o que fez. Outras pessoas também fazem a mesma coisa. O meu pedido é por ela e por outras pessoas. Minha filha era trabalhadora e agradeço aos demais motoboys que vieram participar deste protesto”, pontuou à Banda B.

Jéssica deixou a família e três filhos.

Investigações

O militar foi preso por homicídio culposo na direção de veículo automotor, qualificado pela embriaguez. Ele está detido 20º Batalhão do Exército, aguardando decisão judicial. Caso seja constado esse risco por parte da Polícia Civil, o militar pode passar a responder por homicídio com dolo eventual, que aumentaria a pena e poderia levar o caso até mesmo para júri popular.

A Dedetran segue investigando o caso.

Vídeo

O repórter Marcelo Borges esteve no local e acompanhou a manifestação.