A secretária municipal de Saúde de Curitiba, Márcia Huçulak, fez um alerta na live no Facebook da Prefeitura de Curitiba desta quarta-feira para aqueles que apontam medicamentos como hidroxicloroquina e ivermectina como as possíveis curas para o coronavírus. Ela destacou que a prefeitura tem acesso ao prontuário dos pacientes mortos e vários fizeram o uso dos medicamentos.

Huçulak durante live da Prefeitura de Curitiba (Foto: Banda B)

 

Novamente nesta quarta-feira, o presidente Jair Bolsonaro creditou sua boa evolução a hidroxicloroquina, que já foi descartada em países europeus e nos EUA. Além disso, especialistas alertam que milhares de recuperados têm uma melhora tomando uma simples dipirona, já que o que se tem são medicamentos para os sintomas e não o combate ao vírus.

Foi neste sentido que Huçulak falou durante a live. ” Infelizmente, 2% dos contaminados morrem, independente do que se faça e do medicamento que se dê. As pessoas que morrem não fazem parte da estatística de que diz que toma determinada droga e se recupera. Nós temos vários prontuários de pacientes que tomaram cloroquina ou ivermectina que morreram e por isso não podem contar”, disse.

Durante a live, a secretária lembrou que sem medicamento comprovado a única forma de combate a doença é o isolamento social. “Se isole , não há outra alternativa. Quem nega isso paga o preço depois, contaminando familiares e colegas de trabalho. A gente tem casos de ‘strikes’, com pessoas que contaminaram 15 pessoas por não levar isso a sério. Use a máscara em caso de sintomas e fique em casa”, concluiu.

Curitiba tem até o momento 11.390 casos de coronavírus, 6434 pacientes recuperados e 299 mortes.