A Prefeitura de Curitiba mudou o protocolo da Covid-19 e agora recomenda 10 dias de isolamento após o início dos sintomas. A orientação segue o padrão da Organização Mundial da Saúde (OMS), mas pegou alguns pacientes de surpresa, já que desde o início da pandemia a recomendação mais usual era a de 14 dias de isolamento.

Foto: SMCS

O diretor do Centro de Epidemiologia de Curitiba, Alcides de Oliveira, explica que o protocolo já foi instituído em outros países e também pelo Ministério da Saúde. “No início, eram 14 dias, mas era um momento em que a gente ainda não conhecia com detalhes a dinâmica da transmissão da doença. Hoje, seguramente, o isolamento de 10 dias é suficiente para que a pessoa possa se recuperar e não transmitir a doença para ninguém”, disse.

Segundo o novo protocolo, a contagem dos dez começa com o início dos sintomas ou com o exame de diagnóstico da Covid-19. O período é considerado suficiente porque há um entendimento no meio médico de que o paciente pode transmitir a doença dois dias antes e até sete dias após a apresentação dos sintomas.

No boletim desta segunda-feira (30), a Secretaria Municipal da Saúde confirmou 13.829 casos ativos na cidade, o que corresponde ao número de pessoas com potencial de transmissão do vírus. É o maior número desde o início da pandemia.

Preocupação

Durante a entrevista concedida à Banda B, Alcides de Oliveira lembrou que o momento é de preocupação. “A Covid-19 tem essa característica de aumento rápido e impacta fortemente no serviço de saúde, não só por atendimento, mas por internamento. Por isso, é preciso todo o cuidado. Quem puder, trabalhe de casa. Se você é um caso suspeito, está com febre, tosse, dor de garganta, perdeu o apetite, paladar ou o olfato, fique em casa e ligue para nossa central de atendimento. Com isso, queremos reduzir a circulação da doença e, em consequência, a transmissão da doença”, explicou.

As recomendações de uso de máscara, higienização constante das mãos e distanciamento social seguem sendo as principais das autoridades de saúde.