Foto: Flávia Barros – Banda B

 

Em tentativa de coibir a ação dos chamados ‘fura-catracas’ na estação-tubo Morretes, a Prefeitura de Curitiba instalou uma grade para impedir a entrada de pessoas pela porta 4 dos biarticulados. O instrumento foi instalado há cerca de um mês, mas a Banda B constatou nesta sexta-feira (1) que nem isso é capaz de deter as ações coletivas. Profissionais e usuários do transporte coletivo confirmam que é muito difícil passar pelo local em horários de pico. A estação-tubo Morretes é a mesma que a Guarda Municipal realizou a Operação Arapuca na última terça e apreendeu 20 adolescentes.

De acordo com a Urbanização de Curitiba, a grade é experimental e foi instada até o momento nesta única estação-tubo.

Segundo um cobrador de ônibus que trabalha na estação e que preferiu não se identificar, a grade em nada adiantou e o horário próximo das 17h30 costuma ser crítico. “São cerca de 20, 30 invasões por dia nesse horário. Eles ignoram a grade, pulam a catraca e dão um jeito”, comentou.

Enquanto a equipe de reportagem esteve no local, um adolescente chegou a dizer que as vezes fura sim a catraca. “A gente faz isso para economizar R$ 4,00. Dá para guardar dinheiro para comprar um lanche, mas depois dessa ação da Guarda, estamos ficando mais atentos”, confessou.

Medo

Segundo a passageira Inês Mendes, ações coletivas de estudantes nos ônibus costumam aterrorizar quem depende das linhas. “Eu pago minha passagem, mas já vi muita gente furando. A gente até percebe que pessoas novas e bem vestidas, que possuem condições, o que nos causa uma revolta muito grande”, disse.

Pesquisas das empresas de transportes apontam que as invasões de ônibus geram um prejuízo de cerca de R$ 400 mil por mês – mais de R$ 4 milhões por ano – ao sistema de transporte público de Curitiba. O preço da tarifa de ônibus é definido pela Urbs com base no número dos passageiros pagantes de ônibus. Os fura-catracas não entram na conta e acabam encarecendo o valor que todos os passageiros regulares pagam.

Operação Arapuca

A Operação Arapuca foi deflagrada por volta do meio dia da última terça-feira (29) e apreendeu 20 adolescentes que “furaram” a estação-tubo Morretes, em frente ao Colégio Estadual Pedro Macedo, no bairro Portão.

Os adolescentes foram retirados de dois biarticulados, ambos da linha Santa Cândida/Capão Raso. Todos os adolescentes apreendidos nesta terça-feira foram encaminhados para a Delegacia do Adolescente. Lá foi feito um termo circunstanciado e os pais dos estudantes precisaram ir até a delegacia para assinar o documento e liberar os jovens.

Estações mais visadas

Segundo levantamentos da Urbs e das empresas, as estações com maior número de ações de fura-catracas são:

Passeio Público – Sentido terminal Santa Cândida

Professora Maria Aguiar – sentido bairro

Antônio Lago – sentido bairro

Eufrásio Correia – sentido Estação Central

Tubo Detran – sentido Cabral