Unidade de Saúde São Miguel, no CIC. Foto: Banda B

 

As filas para garantir senhas de consultas médicas nas Unidades de Saúde são desnecessárias, afirma a Prefeitura de Curitiba. A superintendente de Gestão em Saúde, Tânia Pires, garantiu à Banda B que o agendamento pode acontecer durante todo o dia nas US, em qualquer horário. “Todos os nossos funcionários estão sendo alertados que a população pode chegar durante o dia inteiro para agendar. Claro, nem sempre vai ter no outro dia, ou terá em duas semanas. É uma consulta programada, não precisa fazer fila às cinco da manhã”, alerta, em entrevista ao comunicador Geovane Barreiro, na 2ª edição do Jornal da Banda B.

Na manhã desta terça-feira (15), a Banda B acompanhou filas em duas US de Curitiba – São Miguel e Orleans – em que pacientes aguardavam a abertura das unidades desde as 5 horas para garantir senhas de agendamento. A situação acontece em outras diferentes US por toda a cidade. Segundo eles, são poucas senhas para muita demanda.

Após a reportagem, a Prefeitura de Curitiba informou, por meio da superintendente Tânia Pires, que essa rotina de ‘madrugar’ para conseguir consultas médicas não era mais necessária. “Estamos numa luta muito intensa para parar as filas. Queremos que as pessoas agendem suas consultas. Uma pessoa disse que era hipertensa, outra que tem diabetes. Essas doenças são crônicas, não é uma doença que começou hoje. Então, a pessoa pode agendar a consulta durante o dia inteiro. É só chegar na Unidade de Saúde e marcar”, garante.

Será?

Diante da realidade, muitos pacientes relataram que há negativa dos servidores quanto ao agendamento. A moradora do Boqueirão, Viviane Maia, que recorre às filas para pegar senha, diz que há algo de errado na afirmação da superintendente Tânia Pires. “De duas, uma. Ou as informações que a superintendente está passando são equivocadas ou os atendentes das Unidades de Saúde estão desinformados. Aqui na Unidade de Saúde da região não é permitido marcar consultas em qualquer horário, não”, diz.

A superintendente Tânia rebate dizendo a ordem é que a marcação aconteça em qualquer horário. “Todas as Unidades de Saúde precisam abrir as agendas. Essa é a informação que passamos para todas as chefias das Unidades de Saúde. Se estão passando informações erradas aos nossos pacientes, precisamos saber. Caso seja negado, peço que usem canais de ouvidoria e falem para a gente”, pede a superintendente.

Aplicativo

Desenvolvido para que o agendamento aconteça aos pacientes em precisar sair de casa, o aplicativo Saúde Já Curitiba está causando confusões nas unidades pela falta de informações. Um servidor público que trabalha em uma US em Curitiba, que não terá o nome revelado, disse à Banda B que os pacientes se revoltam quando descobrem que, na verdade, o aplicativo apenas prepara para uma pré-consulta. “A enfermagem vai avaliar o paciente e ver a necessidade da consulta. A prefeitura não explica isso na mídia. Os pacientes que marcam pelo Saúde Já vão crente que é consulta com o médico, aí chegam no posto de saúde e começam a brigar e xingar a equipe de enfermagem”, detalhe à reportagem.

Já a superintendente Tânia Pires defende que o aplicativo serve para que as necessidades dos pacientes sejam filtradas. “Ele vai fazer um agendamento inicial, não abre nesse momento a agenda do médico, do enfermeiro. Nosso técnico vai avaliar a situação. Tem pessoas que querem remédios e a receita está vencendo. É uma avaliação prévia”, finaliza.