A Secretaria Municipal de Urbanismo de Curitiba fechou duas lojas de departamento, nesta quinta-feira (2), após os estabelecimentos descumprirem determinação de decreto estadual e continuarem funcionando normalmente. Conforme apurado pela Banda B, foram alvos da ação da fiscalização a loja Havan, no bairro Bom Retiro, e a Americanas, no Centro da cidade.

Foto: Google Street View/ Reprodução

A secretária da Saúde de Curitiba, Márcia Huçulak, comentou o fechamento dos estabelecimentos durante live na página no Facebook da Prefeitura de Curitiba para divulgar os números do novo boletim sobre o coronavírus na capital. “Lamentamos a atitude desses comerciantes, que infelizmente estavam contra o decreto do governo do Estado e da própria Prefeitura de Curitiba”, disse ela.

O decreto estadual, anunciado pelo governador Ratinho Junior nesta terça-feira (30), suspende o funcionamento de shopping centers, galerias comerciais, comércios de rua, salões de beleza, barbearias, clínicas de estética, academias de ginástica e outros serviços considerados não essenciais por 14 dias.

Procon

Apontada por internautas como uma possível estratégia para se manter aberta com o novo decreto estadual que determinou o fechamento do comércio, a Lojas Havan está vendendo produtos essenciais como o arroz em Curitiba e região metropolitana. Também chama a atenção o valor de um pacote de cinco quilos, que foi encontrado em uma loja da rede em Colombo ao preço de R$ 22, quando em mercados a média é de R$ 14.

Um levantamento do Portal Plural aponta que as lojas Havan em Curitiba e região estão abertas. A empresa alega que não há irregularidades, já que o cadastro contempla a venda de alimentos. Com relação aos preços abusivos, a diretora do Procon-PR, Cláudia Silvano, afirmou que isso está sendo investigado.