A Prefeitura de Curitiba e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) formalizam, nesta quarta-feira (2/12), o contrato de financiamento do Projeto de Aumento da Capacidade e Velocidade da Linha Direta Inter 2. A assinatura simbólica será feita por videoconferência, às 17 horas, a partir do Salão Brasil, com representantes do BID, do município e do governo federal.

Foto: SMCS

Assinam o convênio, o prefeito Rafael Greca, pela Prefeitura de Curitiba; Morgan Doyle, pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento e a Procuradora da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN), Ana Gatto.

Serão US$ 106,7 milhões (cerca de R$ 555,8 milhões pelo câmbio atual) financiados pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e UD$ 26,7 (R$ 54,8 milhões) em contrapartidas municipais. Um total de US$ 133,4 milhões (R$ 694,9 milhões) em investimentos em uma grande obra de modernização do transporte. O empréstimo será desembolsado em um período de cinco anos, com prazo de amortização de 25 anos e período de carência de 5,5 anos. Os valores em reais são estimados com base na cotação do dólar na data da assinatura do contrato. Pode haver variação ao longo das obras, uma vez que o contrato é firmado em dólares e cotação é feita no momento dos desembolsos.

O novo projeto de transporte de Curitiba visa a garantir a melhoria da infraestrutura viária e de equipamentos para o aumento da velocidade operacional e a ampliação da capacidade de carregamento do Ligeirinho Inter 2 e do Interbairros II, dos atuais 155 mil transportados diariamente pelas duas linhas para 181 mil passageiros/dia.

As intervenções de mobilidade vinculadas ao Novo Inter 2, têm potencial para gerar 34,8 mil postos de trabalho na cidade, entre empregos diretos, indiretos e induzidos, ao longo dos próximos anos.