Aos 57 anos, o piraquarense Marcus Tesserolli trabalhou a vida toda dentro de um único município. Prefeito de Piraquara, na região metropolitana de Curitiba, professor Marquinhos, como é chamado por todos, enxerga que a bagagem adquirida por viver intensamente a cidade foi peça fundamental para direcionar transformações pilares em sua gestão, dita como divisor de águas.

Agora, depois de oito anos à frente de Piraquara como gestor municipal, Marquinhos sai de cena e deixa seu sucessor, professor Josimar, como forma de continuar a aprovação que tem dos moradores piraquarenses. “Minha vida é Piraquara, nunca trabalhei em outro lugar que não fosse aqui. Dei aula aqui, conheço o dia a dia das pessoas de Piraquara porque convivo com elas e quero terminar meu dia aqui. Conseguimos mostrar que é possível ter uma gestão que transforma a cidade, e é por isso que os moradores querem a continuidade desse trabalho. Entendo que realmente nossa gestão foi um divisor de águas, mostrando que Piraquara é uma cidade viável, não cabe mais ficar dando desculpas”, diz o prefeito, em entrevista ao Jornal Metropolitano.

Primeiro asfalto

Eleito pela primeira vez em 2012, professor Marquinhos relembra inúmeras dificuldades, entre elas, o primeiro asfalto no município, que só pode ser feito no segundo ano da gestão, em 2014. “Até asfaltar a primeira rua foram dois anos. A cidade estava em um total abandono, toda esburacada e precisávamos retomar o desenvolvimento. Lembro que, quando aparecia um caminhão de saibro, o morador ia tirar foto ao lado da máquina, para ver a situação das ruas. Mas, agora, o morador de Piraquara já se apropriou daquilo que é de direito dele, que é o mínimo de cuidado”, acredita Marquinhos.

 

Foto: Divulgação/Prefeitura de Piraquara

 

Piraquara é marcada por áreas de preservação permanente. É uma região de mananciais e, por isso, enfrenta uma série de restrições em instalação de empresas e fábricas, o que torna a arrecadação do município em um patamar considerado baixo. “Precisei achar o equilíbrio para conseguir arrecadação, afinal os municípios vizinhos podem e apenas aqui a industrialização não era viável. Conseguimos então a vinda da indústria limpa e oferecer turismo rural. Mas, nossa cidade estava mal cuidada, não tinha calçada, ruas, nada, então, criamos infraestrutura para que os piraquarenses pudessem viver aqui e ajudar a desenvolver a cidade”, relembrou.

Obras importantes

Para o prefeito Marquinhos, algumas benfeitorias que promoveu com a sua equipe transformaram a realidade de Piraquara. Embora seja difícil escolher, o prefeito destaca a duplicação do principal acesso ao município e do parque, fundamental para o lazer dos moradores. “A duplicação da Rodovia João Leopoldo Jacomel é uma obra do Governo, mas que teve influência direta por nós aqui de Piraquara. Também teve a duplicação da Pastor Adolfo Weidman, muito importante para o desenvolvimento daqui. O Parque das Águas na primeira gestão me marcou bastante porque os moradores se apropriaram dela, se sentiram valorizados, independente de onde moram. Anos depois, focamos na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) aos moradores de Piraquara, que ainda não tínhamos”, opina Marquinhos.

Parcerias com os governos estaduais e federais também fizeram a diferença para colocar nas ruas diversos projetos. “Um prefeito tem que exclusivamente defender o interesse do povo. Se sou de esquerda ou direita, não é a população que precisa pagar por isso. Tenho boa relação com muita gente, independente de sigas partidárias. Isso é importante na busca por receitas”, completou.

Diante de tantas transformações, o prefeito avalia de forma positiva as duas gestões. “Fico emocionado e entusiasmado com a forma que entregamos a cidade. Nem nos dias mais otimistas imaginei que conseguiríamos tamanha transformação porque mudamos a cidade em todos os sentidos. Principalmente, em obra e infraestrutura, além da auto estima do piraquarense que tem uma cidade mais bonita, limpa e melhor para se morar”, comemora Marquinhos.

Time

O prefeito de Piraquara distribui o fardo e acredita que a equipe que construiu em ambos mandatos teve impacto determinante para as ações de sucesso. “Tenho pessoas leais e competentes, funcionários de carreira que já me conheciam e abraçaram a ideia, com todo mundo remando para o mesmo lado, sabendo para onde queríamos ir. Não posso deixar de citar os vereadores que tiveram papel fundamental, deixando de lado divergências políticas e trabalhando juntos para a cidade crescer”, elogia.

Futuro

Sobre virar a página e recomeçar, Marquinhos ainda não definiu de que forma será sua futura rotina. Mesmo assim, a ideia de sair de Piraquara todos os dias para ir trabalhar é algo que o deixa incomodado. “Dá até um aperto no coração porque não sei o que fazer no futuro. Há convite para trabalhar em cidades vizinhas, no Governo do Paraná e vou avaliar tudo isso, levando em consideração que gosto da cidade e sair todo dia para trabalhar em outra cidade não será fácil”, descreve.

“Sinceramente, não sei direito o que acontecerá. Ainda estamos trabalhando muito na transição e acredito que o Homem lá de cima tem algo muito bom preparado para mim e Ele vai me iluminar para tomar a decisão correta para o futuro”, finalizou o prefeito, emocionado.