O Corpo de Bombeiros localizou, na tarde desta segunda-feira (18), o corpo do menino de sete anos que desapareceu no mar em Guaratuba, Litoral do Paraná, na última sexta-feira (15), enquanto se banhava com a família na Praia de Caieiras, que é sem ondas, mas tem uma corrente de água perigosa. Em entrevista à Banda B, Raquel de Godoy, mãe do garoto, disse que precisa ter forças para seguir em frente.

“Acabaram de encontrar o corpo dele. Meu marido me confirmou. O corpinho já foi reconhecido. Não consigo explicar, mas Deus quis assim. Agora é ter força, porque tenho uma menina de cinco anos que precisa de mim”, disse a mãe do garoto, chorando muito e confirmando que o corpo do sobrinho, de 16, também acabou localizado na manhã de hoje.

Na foto a família antes de entrar no mar: Raquel (à esquerda), a sobrinha, que sobreviveu, o adolescente que não resistiu (ao centro), o menino que também morreu e o marido de Raquel, Edson (à direita), que foi resgatado

O afogamento

A família, moradora na Vila Liberdade, em Colombo, foi ao Litoral para passar o feriado, quando Raquel percebeu que o marido, o filho pequeno e dois sobrinhos, de 16 e 13 anos, estavam se afogando. Ela pediu então ajuda ao policial militar Pedro Leone Barão, soldado lotado no 22.º Batalhão da Polícia Militar, que estava de folga. Ele e outro policial pularam na água para tentar ajudar.

“A esposa nos sinalizou que percebeu a família se afogando. De pronto, entramos na água e resgatamos o Edson, marido dela, e a sobrinha. Infelizmente, a corrente levou cada um para o lado e foi difícil o resgate. Fui diretamente na adolescente, que estava de bruços, enquanto meu amigo policial tentou pegar o outro rapaz, mas ele já tinha engolido muita água e estava pesado, não sendo possível”, descreveu Pedro.

O soldado disse que o sentimento por salvar duas vidas é de gratidão. “Na hora, não pensamos duas vezes. Ao mesmo tempo, fica a tristeza por não conseguir salvar a todos. Foi uma cena triste e chocante”, concluiu.

Resgatados

O marido de Raquel, que foi resgatado do mar, está bem e de alta hospitalar. A adolescente, de 13 anos, retirada já inconsciente do mar, permanece internada e se recupera bem.