A Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) suspendeu o fornecimento de água potável para empresas de caminhões-pipa que fazem o atendimento às residências e condomínios em Curitiba e região. A prioridade é o atendimento a hospitais, clínicas médicas, escolas, postos de saúde, asilos e indústria.

“O objetivo é garantir água potável para os setores mais vulneráveis”, explica o diretor de Meio Ambiente e Ação Social, Júlio Gonchorosky.

Foto: AEN

A água que a Sanepar fornece para indústrias é retirada das estações de tratamento que não pertencem ao Sistema de Abastecimento Integrado de Curitiba (SAIC). Ou seja, são de unidade que está fora do rodízio do abastecimento. Com isso, a empresa está utilizando todas as alternativas para contribuir pra evitar à aplicação de rodízio mais severo e garantir que todos tenham acesso a água igualmente.

A Sanepar alerta para que as pessoas não contratem água que podem estar armazenadas de forma inadequada e de fontes que não tem controle de qualidade. Há três meses a empresa acompanha a evolução das vendas. Nesse período foi identificada uma prática de burlar o rodízio com aquisição de água neste sistema. “O rodízio implantado é distribuído de forma equânime, sem fazer distinção de bairro, região ou condomínio” explica o diretor.

Desde o início do ano, a Sanepar forneceu mais 111.533 milhões de litros de água para estas empresas. Neste período o aumento foi de 600%. Somente no mês de setembro foram 1.019 solicitações.

As chuvas do final de novembro e início de dezembro trouxeram um alívio para o abastecimento, mas ainda não são suficientes para interromper o rodízio. A previsão de chuvas para o verão não são animadoras. Por isso, é importante que todos os moradores adotem práticas e medidas que levem ao uso racional e economia. “O caminhão-pipa que deveria ser utilizado para atender emergência tornou-se rotina,” reforça o diretor.