Uma denúncia de maus tratos levou a Polícia Civil até uma residência na cidade de Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC). De acordo com as informações repassadas à Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente, um cabrito era preso dentro de uma gaiola menor do que o seu porte. No entanto, ao chegar no local nesta quarta-feira (23), os policiais verificaram que a situação não era verdade (vídeos abaixo) e ainda, segundo o delegado Matheus Laiola, o animal estava sendo bem cuidado.

“Encontramos a gaiola sem nenhum cabrito dentro ao chegar lá. Pouco tempo depois o próprio cabrito, chamado de Brito, sai da residência do tutor com uma roupinha e, aparentemente, bem tratado”, destacou à Banda B.

 

Seu Vilson e o cabrito Brito. Foto: Reprodução

 

Ainda de acordo com Laiola, o animal é conhecidíssimo na região. No momento da abordagem feita pelos policiais, a população começou a se aglomerar em volta da casa de Vilson, o tutor do animal. “Ele mostrou ainda a bicicleta que utiliza para fazer passeios com o Brito na cidade. Sobre a gaiola, o dono do cabrito indicou que ela sempre fica aberta e nem cadeado tem. O animal entra, sai, come e descansa no local” disse Laiola.

Alarme falso

Questionado sobre as denúncias de maus tratos, Laiola revelou que diariamente chega informações à delegacia. No entanto, nem sempre o crime de maus tratos ou crime ambiental é detectado pelas equipes nas investigações. “Muitas vezes é porque o ‘cachorro late e o gato mia’. Então, entram em contato e dizem que tem maus tratos quando, na verdade, seria apenas a perturbação de sossego. Estes casos são infundados e a gente pede que a população se conscientize mais”, pontuou.

Porém o delegado reforçou que é mais importante denunciar do que se omitir, e ressaltou os canais de comunicação para fazer as denúncias. “Muito possivelmente, a população não tem o conhecimento técnico do caso e a gente pede que denuncie, mas também não é para desvirtuar os fatos. Tem que entrar em contato com à delegacia e/ou o distrito policial da área. No caso, se você efetivamente ver que é maus tratos, denuncie pelos canais oficiais. Pelo telefone 181 ou os meios de comunicação da prefeitura, o 156”, relembrou.

Caso

A secretaria do Meio Ambiente de Pinhais e a Polícia Civil seguem acompanhando o caso. “Então, por ora, nós deixamos pequenas orientações porque o animal é bem cuidado pelo tutor”, concluiu Laiola à Banda B.

Vídeos