A família do servente Marcelo da Trindade, de 48 anos, criticou na tarde desta quinta-feira (6) a liminar que concedeu liberdade ao médico Ulisses Misima Ribeiro, de 43 anos. De acordo com a irmã, Marta Trindade, a decisão impacta e provoca indignação. Ulisses é suspeito de participar de um racha que teria provocado o atropelamento e morte de Marcelo.

BMW acertou servente que morreu na hora enquanto trabalhava (Foto: Banda B)

Em entrevista à Banda B, Marta disse que os dias da família estão sendo muito difíceis desde o dia do atropelamento. “Está muito difícil, minha mãe fica aos prantos quase que diariamente, então estamos levando apenas pela graça e misericórdia de Deus, já que pelo jeito não vamos ter justiça”, lamentou.

Para a irmã de Marcelo, a boa condição econômica dos dois motoristas envolvidos no suposto racha tem pesado nas decisões. “A gente fica assim, impactado, porque a gente não achava que ele [Ulisses] seria solto tão rápido, acreditamos que seria pelo menos uma semana. Já estávamos indignados pelo outro [Silvio Eduardo de Alencar Santos] solto. O que eles fizeram é muito errado, eles tiraram a vida de um trabalhador, não é porque os dois têm dinheiro e fama que isso pode ficar assim”, disse.

Liminar

O desembargador Clayton Camargo, do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR), concedeu no começo da tarde desta quinta-feira (6) uma liminar que permite ao médico Ulisses Misima Ribeiro deixar a prisão. Ulisses é suspeito de participar do racha na BR-277, no bairro Orleans, em Curitiba. Segundo a Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran), a competição automobilística foi a causa do atropelamento que matou o servente Marcelo da Trindade.

Ulisses foi preso na última terça-feira (4). Ele é apontado pela Dedetran como o motorista do veículo Volvo que aparece em imagens de uma suposta competição automobilística contra a BMW de Silvio Eduardo de Alencar Santos, de 20 anos.

O atropelamento aconteceu no dia 13 de julho, na BR-277, em Curitiba. A BMW dirigida por Silvio Eduardo de Alencar Santos, de 20 anos, fazia a pista sentido Centro de Curitiba quando capotou e matou Trindade.

Para a polícia, a BMW e o Volvo disputavam uma corrida automobilística, o popular racha.