O governador Ratinho Junior afirmou, em entrevista coletiva concedida na manhã desta terça-feira (5), que o Paraná tem 8,9 milhões de seringas e agulhas para dar início à vacinação contra a Covid-19. O tema ganhou importância após o Ministério da Saúde fracassar na primeira tentativa de compra do material para a vacinação no Brasil. Das 331 milhões de unidades de seringas e agulhas que a pasta tem a intenção de comprar, só conseguiu oferta para 7,9 milhões no pregão eletrônico. O número corresponde a cerca de 2,4% do total de unidades.

Foto: AEN

No Paraná, porém, a situação parece ser um pouco mais tranquila. “Nós temos hoje 8,9 milhões seringas e agulhas em estoque, o Paraná é um dos estados do Brasil que mais tem estoque de seringa. Então, temos essa tranquilidade de que quando chegar essa vacina, a gente tenha a matéria à disposição da população e dos técnicos de saúde”, disse Ratinho Junior.

O governador também confirmou que o estado já tem 1980 pontos de vacinação catalogados. “São pontos organizados, com equipe e prontos para o recebimento da vacina. Estamos planejados para que, se Deus quiser, no final de janeiro ou início de fevereiro possamos começar a vacinação”, concluiu.

A fala de Ratinho se deu durante a inauguração do Centro de Controle da Muralha Digital, projeto da Prefeitura de Curitiba voltado à gestão do trânsito, da segurança pública e também dos eventos climáticos.

Na tarde de segunda-feira (4), o prefeito Rafael Greca também falou sobre a expectativa de vacinação. “É nosso dever prover a saúde e é nossa esperança que a vacinação possa começar ainda neste mês. Neste mês que o calendário cristão invoca São Sebastião, o protetor do povo contra as pestes em tempos antigos”, disse o prefeito de Curitiba.