Após 40 dias internado na UTI do Hospital Pequeno Príncipe por conta do novo coronavírus, Alisson Louback, de 16 anos, se recuperou da doença, recebeu alta, mas agora a família enfrenta uma nova luta: a dificuldade financeira imposta pela pandemia. Inicialmente o objetivo é o de comprar uma cadeira de rodas, mas os medicamentos e cuidados impostos pela doença criaram uma situação ainda mais difícil.

Foto: Arquivo Pessoal

Na última terça-feira (2), a Banda B conversou com a família de Alisson e contou a história do jovem que, apesar da pouca idade, já passou por várias complicações de saúde, entre elas: muitas cirurgias. Por conta do quadro de saúde do paciente, os parentes foram chamados pela equipe médica para se despedirem do adolescente, mas, com muita fé, houve uma reviravolta na história de Alisson: ele está curado da Covid-19.

“Os primeiros dias foram os mais angustiantes que já passamos desde que ele nasceu. Não poder ficar com o filho enquanto ele passa por esse tipo de coisa é uma das piores dores. Vivemos momentos terríveis”, afirmou Simone.

A mãe ainda contou que ficou nove dias sem vê-lo e que só conseguiu ter contato com o filho no dia em que ele teve uma parada cardíaca. Dia este em que foram chamados pelos médicos para verem o menino com vida pela última vez.

Nova luta

A família Louback faz parte das dezenas de milhares de brasileiros que, por causa da pandemia do novo coronavírus, se viram em momentos bastante difíceis. O pai do adolescente é autônomo e manter Alisson bem requer cuidados. Por isso, os familiares pedem ajuda para arrecadarem qualquer tipo de doação, já que tudo é bem vindo, visto que ele é cadeirante, faz uso de fraldas e precisa de medicamentos, além de certos tipos de conforto.

O pulmão dele foi comprometido, por causa da piora no quadro clínico enquanto esteve internado, e os rins pararam de funcionar.

Foto: Arquivo Pessoal

“O Alisson é guerreiro todos os dias. Com um dia de vida, ele já fez uma cirurgia e outra no sexto dia após o nascimento. Até os oito anos, ele já tinha passado por nove cirurgias”, relembrou Simone.

Agora, amigos e familiares se uniram para conseguirem ajudar o jovem e a família. Moniky Louback Pires, prima dele, tem organizado e cuidado das doações. De acordo com ela, algumas pessoas têm entrado em contato através do WhatsApp e estão contribuindo por meio de depósitos na conta bancária dela. “Eu recebo o dinheiro e rapidamente transfiro pra tia”, disse.

Como ajudar:

Os depósitos podem ser feitos para a conta de Moniky Louback Pires.

Banco Santander
Agência: 0823

Conta corrente: 01017362-3

CPF: 096.823.869-69