O pãozinho de cada dia, tradicional entre os curitibanos, já não está tão comum em meio à pandemia de coronavírus. Segundo o Sindicato da Indústria de Panificação e Confeitaria (SIPCEP), as padarias sofreram uma queda de 70% no movimento e algumas já chegaram a fechar as portas. Com isso, o momento é de tentar se reinventar em meio à crise.

(Foto: Divulgação)

 

Segundo Vilson Borgmann, presidente do SIPCEP, os comércios estão trabalhando com cerca de 30% do faturamento previsto para esta época do ano. “Diminuiu muito o número de clientes na loja. Nós temos notícias até de padarias que fecharam definitivamente ou estão demitindo. O momento é terrível para nós”, afirmou, em entrevista à Banda B.

De acordo com o Borgamann, as padarias estão atendendo de forma organizada e evitando qualquer tipo de possibilidade de contato. “São respeitadas todas as normas de segurança alimentar, com a presença de álcool gel, máscaras e tudo mais, além da limitação de espaço e número de pessoas na loja. Na padaria, você não vai encontrara aglomeração, como acontece em supermercados”, afirmou.

No momento de crise, segundo o presidente, é hora das padarias se reinventarem. “Todos os estabelecimentos estão indo para o delivery. Alguns com empresas ou outras fazendo com o próprio pessoal. Além disso, houve uma queda de preço para os clientes. Estamos fazendo tudo o que está ao nosso alcance “, ponderou.

Por fim, ele deixou um recado aos curitibanos. “Continue prestigiando a padaria do bairro para que ela consiga passar por este período”, concluiu.