Um sonho que se transformou numa missão: levar atividades artísticas e culturais a crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade, transformando, educando e levando esperança a esse público muitas vezes esquecido. É assim que a jovem Camila Casagrande, 26 anos, hoje presidente do Incanto – Instituto de Cultura, Arte e Novas Tecnologias – pode definir o projeto que há quase dois anos impacta a vida de 234 crianças de Curitiba e Região Metropolitana através de seis ONG´s atendidas. Agora, o Instituto está a procura de novos voluntários em diversas áreas.

Fotos: Divulgação/Incanto

A ONG Incanto foi lançada oficialmente em 21 de setembro de 2017, e segundo Camila, a partir de experiências que teve ainda na adolescência.“Vim da comunidade e desde criança sempre fui decidida a correr atrás do que eu queria. Como meus pais não tinham condições de pagar uma atividade no contraturno pra mim, eu vendia pulseiras para pagar o valor da mensalidade das aulas de ginástica que fazia. Aos 15 anos criei um grupo de dança e tive a oportunidade de transmitir de forma gratuita o acesso (que nunca havia tido) à arte e cultura para crianças e adolescentes que jamais tiveram essa chance”, conta Camila, que é bailarina, coreógrafa, produtora cultural e publicitária.

De acordo com a presidente da Incanto, o curso foi o que fez tudo começar, pois foi quando ela viu a necessidade de levar a transformação pela arte para outras crianças. “Nesse sentido, a arte vem como uma forma de transformação, para que as crianças possam sentir esse pertencimento a algo além dos caminhos que as ruas sugerem, ou do que elas já viveram. Essas crianças estão em situação de vulnerabilidade, então e a arte é um refúgio”, esclareceu .

Alunos multiplicadores

Com 10 anos de história, nesse mesmo grupo de dança e com cases de vidas que foram de fato transformadas pela arte, veio a nova transformação da iniciativa: Camila encontrou em seus próprios alunos potencial para que se tornassem multiplicadores do que haviam aprendido e ensinassem muito mais crianças que nunca tiveram acesso a uma atividade artística ou cultural regular.

Foi aí que, em 2016, o Instituto Incanto começou a surgir e ser testado dentro das comunidades. O resultado imediato das atividades com as crianças trouxe um feedback positivo, tanto para os professores voluntários quanto para as crianças atendidas.

“Eu vi meus alunos crescerem e já não tinha mais o que ensinar, então fiz o convite para que se tornassem professores. Meus alunos se tornaram professores dentro dessas ONGs, que são casas lares. Também ampliamos o projeto para outras áreas artísticas”, contou Camila.

Em setembro de 2017, a ONG Incanto foi lançada oficialmente em Curitiba, expandindo seu atendimento para organizações categorizadas em casas lares ou projetos de contraturno escolar de Curitiba e Região Metropolitana, com atividades regulares de Dança, Teatro, Música, Circo, Artes Visuais, Cultura (Poesia / Fotografia e Produção Audiovisual) e Novas Tecnologias (Eletrônica, Robótica e Programação).

Gerenciando a conexão entre instituições e voluntários artistas, a Incanto oferece suporte aos voluntários para que eles possam executar aulas regulares e, dessa forma, promover o pertencimento com acesso de qualidade à arte e cultura, transformando vidas de crianças e adolescentes que estão em situação de vulnerabilidade através da arte e da cultura como ferramentas de humanização.

Missão e transformação

Para Camila, a grande missão é mostrar a crianças e adolescentes que os sonhos podem ser alcançados, independente das adversidades.

“Além de transformar o maior número de crianças possível, também desejo ser, de alguma forma, inspiração para aqueles que sonham em empreender, tanto no 3º setor quanto em qualquer outro segmento. Quando você tem energia e consegue se dedicar a um projeto, ele se torna realidade”, acrescentou.

Segundo Camila, apesar de todas as dificuldades e imprevistos que acontecem pelo caminho, a palavra-chave é não desistir dos sonhos e sempre enxergar algo maior no futuro.

“Não me vejo fazendo outra coisa. Muitas vezes falta apoio, incentivo e suporte, mas mesmo com as perdas e expectativas frustradas nunca desisti pois essa é uma missão que está dentro de mim. Se sou resiliente é porque acredito nesse sonho transformador que tenho, de usar a arte para ajudar as pessoas. Encontrei meu lugar”, finaliza.

Desafios

Ainda de acordo com Camila, um dos maiores desafios da Instituição é andar com as próprias pernas, sem depender de patrocinadores. “O maior desafio e fazer que ele seja autossustentável. Queremos fomentar o projeto sem ficarmos reféns de patrocinador, para que possa andar com as próprias pernas”, disse.

O Instituto Incanto também conta com um clube de vantagens para quem quiser ajudar. Com uma contribuição de R$30 mensais, além de contribuir para o desenvolvimento da ONG, a pessoa também ganhará descontos. Outro projeto é o Entrelaços, que é uma agência social para ajudar empresas e pessoas que trabalham na organização de eventos sociais.

“A Entrelaços desenvolve performances e atividades de integração, com viés artístico. Fazemos isso para fomentar os funcionários da empresa e criar essa relação de empresa com cliente final”, completou Camila.

Como ser voluntário?

Hoje o Incanto impacta a vida de 234 crianças através de seis ONG´s atendidas. No entanto, tem uma projeção de crescimento e expansão para o atendimento de até 32 ONG´s em um ano e 54 ONG´s em dois anos.

“Esse número representa 1620 crianças sendo atendidas em até três anos de caminhada. Por ser um projeto que funciona de forma horizontal, tem grande potencial de se tornar escalável, pois é um método de gestão de voluntários. Com 89 voluntários (entre ativos e fixos), o Incanto consegue proporcionar essas aulas em diferentes regiões simultaneamente. Esse mesmo método pode ser aplicável a diferentes comunidades, dentro e fora do país, uma vez que trata como ponto principal a motivação, propósito e engajamento dos voluntários envolvidos”, explica Camila.

A ONG está a procura de voluntários em todas as áreas, como Recursos Humanos, financeiro, área de projetos, designer. Além disso, o Incanto também precisa de 15 professores até o final do ano.

Interessados em atuar como voluntários ou parceiros podem entrar em contato pelos números (41) 9 9758-5118 e (41) 9223-5118, ou pelo e-mail [email protected]

Acompanhe também as ações do Incanto pelo Instagram: @institutoincanto