No primeiro dia do “toque de recolher” determinado por decreto estadual, a Ação Integrada de Fiscalização Urbana (Aifu) saiu às ruas de Curitiba para verificar se a população está cumprindo as medidas de combate ao coronavírus. Um estabelecimento na rua Doutor Roberto Barroso, no Centro Cívico, foi fechado por desrespeitar decreto municipal que não permite o funcionamento de bares na capital durante a vigência da bandeira laranja.

Foto: Daniela Sevieri/Banda B

“Ele até tinha alvará para atuar como restaurante, porém quando a equipe chegou no local todas as mesas estavam somente fazendo uso de bebida alcoólica. Então o fiscal da Secretaria Municipal do Urbanismo verificou que ele só estava executando o ramo de bar e não de restaurante. O estabelecimento foi notificado e teve encerrada as atividades. O decreto municipal é claro, bares não podem estar abertos”, disse o tenente Casagrande, coordenador operacional da Aifu.

Segundo o decreto de bandeira laranja publicado nesta sexta-feira (27), bares e casas noturnas não podem abrir. Já restaurantes e lanchonetes podem permanecer abertos até as 22 horas.

Toque de recolher

Após as 23h, a equipe da Aifu vai observar também o cumprimento do decreto estadual referente ao “toque de recolher”, que começa a valer a partir desta quarta-feira (02).

Foto: Daniela Sevieri/Banda B

Casagrande explica que pessoas flagradas na rua provocando aglomerações serão abordadas pelas equipes policiais. “Todas aquelas pessoas flagradas em situações de aglomeração, reunião, inicialmente serão abordadas e orientadas. Não acatando a ordem da equipe policial, os envolvidos serão encaminhados por desobediência e perigo de contágio”, detalha o tenente.

Porém, o coordenador operacional da Aifu afirma que nem todas as pessoas circulando após as 23h estarão infringindo o decreto do governador. “Quem trabalha pode realizar seu deslocamento naturalmente. O que não pode é aglomeração, aquelas reuniões de pessoas em frente aos estabelecimentos comerciais e outras situações do tipo, esses vão ser abordados”, concluiu.

Foto: Daniela Sevieri/Banda B

O decreto, assinado nesta terça-feira (01) pelo governador Ratinho Junior, estabelece limitação de horário para circulação de pessoas no período noturno. O prazo de vigência é de 15 dias, prorrogáveis ou não. De acordo com o texto, a proibição valerá durante o fim da noite e a madrugada, das 23 horas às 5 horas.