O nível das represas de Curitiba e região metropolitana é de 40,86%, de acordo com a Sanepar (Companhia de Saneamento do Paraná). Em 40 dias, o nível que era de 26,92% alcançou números mais esperançosos, graças a conscientização da população e, principalmente, as chuvas que têm ficado acima da média para o período. Agora, em uma reunião ainda hoje, a Sanepar vai decidir pela suspensão ou não do rodízio nos dias de Natal e Ano Novo, que tem sido um pedido recorrente da população.

(Foto: AEN)

 

“Nós temos uma reunião hoje da diretoria da Sanepar, que deve terminar no meio da tarde, onde faremos uma análise para avaliar o impacto desse aumento de consumo de 5% que é tradicional, que deve acontecer entre Natal e Ano Novo, que pode dar um volume bastante elevado, comprometendo nossa capacidade de reserva. Tudo isso vai ser analisado. A Sanepar entende e tem sensibilidade do momento delicado, mas o rodízio não é um castigo, isso não foi feito por vontade própria e estamos conseguindo superar esta crise por esta medida”, explicou à Banda B o diretor de Comunicação e Marketing da Sanepar, Hudson José.

Nível das barragens

Se no dia dez de novembro as barragens de Curitiba e região metropolitana alcançaram o menor registro histórico, com 26,92%, Hudson José salientou que o momento é de recuperação, mas cedo para comemorar. “O nível das barragens hoje do sistema integrado, que é formado por quatro barragens, chegou a 40,86%. Chuvas generosas no fim de novembro e primeira quinzena de dezembro, acima da média histórica esperada, além do papel importante da população no uso racional e econômico da água fizeram a diferença. Mas é necessário continuar, até pelo aumento normal do uso de água que acontece no fim de ano, com as festas e mais calor“, salientou o diretor da Sanepar.