A prefeita de Colombo, Beti Pavin, iniciou 2020 caminhando para o último dos oito anos de mandato, sem saber que ele seria o mais desafiador de todos, devido à pandemia de coronavírus. Em entrevista ao Jornal Metropolitano*, da Rádio Banda B, Beti pediu cooperação das pessoas em cumprir o novo decreto mais restritivo da cidade, afirmando não ser possível um prefeito deixar as pessoas morrerem por falta de atendimento

Prefeita de Colombo Beti Pavin (Foto: Geraldo Bubniak/ANPr)

 

Entre as medidas mais restritivas em Colombo estão o fechamento do comércio aos finais de semana e uma espécie de lockdown aos domingos (confira mais sobre o decreto clicando aqui). “Os números aumentaram muito nos últimos dias. Há dez dias não tínhamos mortes em Colombo e agora já são seis. Não podemos deixar as pessoas morrerem por falta de atendimento”, desabafou a prefeita.

Beti lembrou que a rede SUS (Sistema Único de Saúde) é única para Curitiba e região metropolitana e, com isso, as cidades precisavam tomar medidas semelhantes de isolamento social. “Estamos restringindo nestes 14 dias para conseguir levar estes números para baixo. A região metropolitana e a capital não têm barreiras. Você mora em Colombo e trabalha em São José dos Pinhais e assim vai. Por isso é necessário restringir agora, para evitar um lockdown maior no futuro. Se Deus quiser vamos conseguir, mas depende muito do comportamento das pessoas”, lembrou.

Por fim, a prefeita falou sobre a fiscalização na cidade para que o decreto seja cumprido. “Estabelecimentos comerciais foram fechados e estamos pedindo a colaboração das pessoas, porque todos estamos passíveis de pegar essa doença e até perder alguém querido. É difícil encontrar o ponto da economia e a vida e é isso que estamos buscando. Por isso, repito, são 14 dias de sacrifício para não se vir algo mais drástico”, concluiu.

Segundo o último boletim do coronavírus, Colombo tem 229 pacientes confirmados, 167 recuperados e seis mortes. Ao todo, são 56 pacientes em tratamento, com nove hospitalizados e 47 em isolamento domiciliar.

*O Jornal Metropolitano vai ao ar aos sábados às 23 horas e aos domingos a partir das 6 horas, pelo AM 550 e FM 107,1. A apresentação é de Luiz Henrique de Oliveira e Elizangela Jubanski.