(Foto: Divulgação)

O quadro clínico do prefeito Rafael Greca apresenta-se estável, segundo boletim divulgado na manhã desta segunda-feira (31) pela Prefeitura de Curitiba. Ele foi avaliado pelo médico Marlon Rangel, responsável pela cirurgia realizada na noite de sexta-feira (28/12), no Hospital Marcelino Champagnat.

Na avaliação realizada hoje, o prefeito está evoluindo bem quanto ao procedimento cirúrgico. Os exames de controle demonstram boa evolução, especialmente quanto à infecção.

Na mensagem, que você pode ouvir abaixo, Greca diz que 2019 será o ano da reconstrução do futuro. “Agradeço as inúmeras manifestações de carinho. Me dirijo aos curitibanos para lhes desejar Feliz Ano Novo. O ano da recuperação passou e agora é tempo de reconstruir o futuro”, disse ele.

Internamento

Greca foi internado na tarde de sexta-feira (28) com um quadro de indisposição alimentar. Nos exames realizados, foi constatada a existência de uma hérnia umbilical recidivada, ou seja, que já havia sido operada anteriormente, mas que voltou agora. Os exames mostraram anda que a hérnia encontrava-se estrangulada, com uma pequena porção do intestino delgado presa.

Ainda de acordo com Rangel, a cirurgia confirmou uma perfuração no intestino delgado, causada pelo estrangulamento na hérnia. Foi então realizado um procedimento para a retirada de 30 centímetros do intestino delgado e corrigida a hérnia umbilical. Ao todo, a cirurgia durou cerca de três horas e meia. “A previsão de alta nesse momento é muito difícil de prever. São pelo menos cinco a sete dias na UTI e sete a dez dias de internação hospitalar”, explicou o médico.

Durante a cirurgia, os médicos perceberam um foco de infecção, que foi controlado com antibióticos.

Como Greca segue internado na UTI, praxe após procedimentos cirúrgicos, ele não deve comparecer à posse de Jair Bolsonaro em Brasília. Ele viajaria junto com o governador eleito Ratinho Júnior na terça-feira. Após deixar a UTI, Greca irá permanecer mais alguns dias no quarto para completa recuperação.

Prefeitura

O secretário municipal de Comunicação Israel Reinstein explicou que não há nenhuma indicação médica que determine afastamento no momento. “O vice [Eduardo Pimentel] está acompanhando todo o caso, mas o prefeito segue tendo contato com o que está acontecendo na cidade e continuará à frente da Prefeitura enquanto tiver condições médicas favoráveis”, comentou.