Com a aprovação do projeto que flexibiliza as formas de cobrança no transporte coletivo de Curitiba, a Urbs já estuda novas formas de atrair passageiros. Além do bilhete temporal e da tarifa mais barata fora dos horários de pico, a empresa pensa em lançar linhas de ônibus por aplicativo, que seguiriam a lógica de empresas de transporte, como a Uber e a 99. O presidente da Urbs, Ogeny Pedro Maia Neto, confirmou que a ideia substituiria linhas que possuem atualmente uma demanda muito pequena.

Foto: SMCS

“As tecnologias vieram para abrir o nosso olho e precisamos modernizar o sistema. O Poder Público precisa fazer essa modernização, senão outros caminhos vão acontecendo, independente da nossa vontade. Nós temos algumas linhas em que não se compensa colocar um ônibus grande, então poderíamos colocar micro-ônibus para fazer esse transporte por aplicativo”, explicou o presidente da Urbs.

O modelo já existe em algumas cidades, como é o caso de Goiânia, capital de Goiás. Segundo a Urbs, nesse modelo o usuário pode solicitar o veículo e dirigir-se a um dos pontos de ônibus virtuais do sistema. Nele, é possibilitado a identificação do motorista, acompanhamento do veículo, previsão de chegada e avaliação da viagem.

Segundo Pedro Maia, a lei abre a possibilidade, mas ainda é preciso verificar a viabilidade. “Podemos lançar algumas linhas, como experimento, e, se for positivo, ampliamos a escala”, disse.

Cobrança diferenciada

A Urbs já trabalha para implantar uma tarifa reduzida para horários entre os picos de demanda. Segundo Pedro Maia, a empresa está aguardando a sanção para implantar em uma primeira linha.

Na última segunda-feira, entrou em vigor a tarifa diferenciada da linha Pinhais/Guadalupe. A linha gerida pela Coordenação da Região Metropolitana (Comec) agora tem passagem R$ 0,60 mais barata fora dos horários de pico. O desconto é válido com o uso do cartão Metrocard em três períodos diferentes do dia. A tarifa de R$ 3,90 será cobrada das 9h às 11h da manhã, das 14h às 16h da tarde e das 20h à meia noite.

Projeto aprovado

O projeto que possibilita novas formas de cobrança foi aprovado pela Câmara Municipal de Curitiba na última segunda-feira (9). De autoria do vereador Bruno Pessuti (PSD), o projeto possibilita também a troca de ônibus sem o pagamento de nova passagem. Chamado de ‘bilhete único’, o sistema permite ao usuário fazer integrações em outros ônibus por meio do cartão transporte, sem o desconto de nova tarifa.

À Banda B, o autor do projeto comparou a tarifa temporal com a plataforma de streaming Netflix. “No Centro, por exemplo, muitas vezes a pessoa pode pegar um expresso, mas deixa de utilizar porque vai precisar pagar nova tarifa cheia. Se ela já tivesse um bilhete único, não importa, já que a assinatura é mensal e está pago. É como Netflix, não importa se você vai assistir um capítulo por dia ou a temporada inteira, o importante é fazer essa assinatura”, explicou.