Os atos pró-governo Jair Bolsonaro marcados para domingo, dia 26, em várias cidades espalhadas pelo Brasil, têm gerado debates sobre quais seriam as pautas e a real necessidade das manifestações. Em Curitiba, os manifestantes irão se reunir na Praça Santos Andrade e partir em caminhada até a Boca Maldita, por volta das 14h30.

 

FB/Banda B

 

Segundo a líder do Movimento Curitiba Contra a Corrupção, Narli Rezende, os protestos estão marcados desde abril deste ano e a mobilização foi feita pelas redes sociais. “A manifestação estava marcada desde abril e foi facilitada pelas redes sociais que nos dá rapidez para realizar toda essa integração”, afirmou Rezende.

Sobre as pautas pelas quais eles irão fazer a caminhada, ela diz que são decididas pelo movimento, já que são autônomos e independentes. “Aqui somos autônomos e independentes, não obedecemos ordens de ninguém. Nos reunimos e fechamos algumas pautas, como por exemplo o pacote anti-crime do Sérgio Moro, a Reforma da Previdência, a redução de ministérios, a questão da receita não poder investigar crimes de lavagem de dinheiro, todas são pautas caras para nós de Curitiba”, explicou à reportagem.

Rezende também disparou contra políticos do “centrão”, os quais segundo ela estão travando o desenvolvimento do país. “Para o pessoal do ‘centrão’, existe todo o interesse em fazer fakenews, porque eles querem travar o Brasil e  não estão interessadas em contribuir com os 13 milhões de desempregados, é só pegar os dados econômicos”, afirmou a líder do movimento contra a corrupção.

Havia a expectativa de que o próprio presidente comparecesse às manifestações em apoio ao seu governo, mas Jair Bolsonaro, por meio de porta-voz nesta segunda-feira (21), afirmou que não participará dos atos.