O motorista Silvio Eduardo de Alencar Santos, de 20 anos, tirou uma selfie imediatamente após o acidente que matou o servente Marcelo da Trindade, de 48 anos, na BR-277, em Curitiba. A imagem está anexada ao inquérito da Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran), que foi encerrado nesta terça-feira (4). A defesa de Alencar, porém, garante que a imagem foi tirada sem querer, por um mecanismo próprio do aparelho celular.

Reprodução

De acordo com o delegado Edgar Santana, a imagem foi tirada momentos após o acidente. “Isso demonstra o total desprezo com a situação que ocorreu. Essas imagens foram devidamente juntadas ao inquérito para que o Poder Judiciário leve em consideração na aplicação da pena. Ele não se preocupou com o socorro da vítima, em saber se mais alguém estaria envolvido, mas somete em tirar uma foto para publicar”, afirmou.

Além desta, mais imagens foram anexadas ao processo. Uma mostra uma conversa que Alencar estaria tendo com o amigo. Nela consta a foto de um velocímetro marcando 200 km/h.

Veículo BMW ficou completamente destruído após colisão (Reprodução)

“A frieza, irresponsabilidade e inconsequência de Silvio espantaram esta equipe ao encontrar fotos ‘selfies’ dentro do veículo capotado, e fora dele, demonstrando total desprendimento com a situação, mesmo sendo participante de uma cena com uma vítima fatal e sem demonstrar, em momento algum, preocupação com o estado da vítima”, descreve o inquérito da Dedetran.

Outro lado

Diante da imagem, a Banda B procurou a advogada responsável pela defesa de Alencar, Leandra Diega Wagner. Segundo ela, a imagem já foi explicada no interrogatório. “Quando o carro capotou, o celular acabou parando próximo ao peito. Ele conseguiu pegar e, ao tentar ligar para a emergência, acabou tirando a foto por um mecanismo próprio do aparelho”, garantiu.

A defensora também afirma que a foto de forma nenhuma representa um momento de frieza. “Logo após o capotamento, o Silvio não tinha o conhecimento de que havia atingido alguém. Ele ficou sabendo apenas após sair do veículo, quando já estava sentado do lado de fora. Ao saber disso, o objetivo dele era ir ao encontro dessa pessoa, mas o orientaram que ficasse ali porque o atendimento estava chegando”, explicou.

Prisão de segundo envolvido

Nesta terça-feira, o médico dermatologista Ulisses Misima Ribeiro, de 43 anos, foi preso suspeito de participar do racha. Ribeiro é apontado pela Dedetran como o motorista do veículo Volvo que aparece em imagens numa suposta competição automobilística com a BMW de Alencar.

O atropelamento aconteceu no dia 13 de julho, na BR-277, em Curitiba. A BMW fazia a pista sentido Centro de Curitiba quando o motorista perdeu o controle, capotou e matou Trindade.