O motorista que atropelou uma aposentada de 87 anos e fugiu, na manhã deste sábado (14), foi encontrado pela polícia depois da denúncia de um motoboy que seguiu o veículo envolvido no acidente até uma casa, no bairro Tingui, em Curitiba. O atropelamento aconteceu na Avenida Cândido de Abreu, em frente ao Shopping Mueller, e o teste de bafômetro com o condutor, de 31 anos, indicou embriaguez.

O soldado Machado, do Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran), conta que durante a abordagem na residência o motorista negou ser o autor do atropelamento e que quem indicou o endereço foi uma testemunha da ocorrência que trabalha com um aplicativo para motoboys. “Um rapaz que trabalha com um aplicativo de motos viu o atropelamento e seguiu o motorista, que fugiu em alta velocidade, até o bairro Tingui. Lá o carro entrou em uma casa e a testemunha ligou para o 190. Nesse endereço chamei o morador e perguntei onde ele estava antes de conversar comigo naquele momento. Ele relatou que tinha saído, mas negou o atropelamento”, disse o soldado.

Na casa, estava um Peugeot com as mesmas características relatadas pelas testemunhas do acidente e com o para-brisa trincado. Com a confirmação do motoboy de que aquele seria o autor do atropelamento e diante das evidências, o motorista foi preso e conduzido, junto com o carro, para a delegacia.

“Aqui ele fez o bafômetro por livre e espontânea vontade e o testo registrou 0,54 mg/L, o que indica embriaguez. Chegou aqui também a namorada do condutor, que estava junto com ele no veículo, e nos relatou todo o fato confirmando que ele era o autor do atropelamento”, afirmou Machado.

O motorista segue na delegacia, onde um inquérito será aberto e as medidas cabíveis serão tomadas. Ele poderá responder em liberdade e sua CNH deve ser devolvida em cinco dias, o que rendeu críticas do soldado às leis de trânsito do país. “Esse motorista poderá responder em liberdade e terá sua CNH devolvida em 5 dias. Assim vai poder continuar dirigindo normalmente e ainda tem direito a 3 recursos. Enquanto a legislação for branda, teremos pessoas matando no trânsito sem nenhuma responsabilidade. Esse motorista tinha que responder na condição de réu preso”, defendeu, indignado, Machado.