Estrada do Mato Grosso começa no Parque Passaúna e corta bairros de Campo Largo (Foto: Divulgação)

 

Reclamação constante de moradores do bairro Ferraria, em Campo Largo, região metropolitana de Curitiba, o início das obras na Estrada do Mato Grosso dependem da realização de uma licitação.

Em entrevista à Banda B, na manhã desta sexta-feira (1), a doméstica Hosana Araújo, de 44 anos, que mora há 28 na região, disse que em junho do ano passado a Prefeitura de Campo Largo e o Governo do Paraná fizeram o anúncio da revitalização, mas até agora nada. “Quando houve a assinatura de um projeto, que eu ouvi pela Rádio Banda B no Jornal Metropolitano, achei que seria rápido, mas não começou. Faz tempo que está ruim e estamos brigando para isso. Nós que pegamos ônibus, é muito perigoso”, reclamou

De acordo com o prefeito de Campo Largo, Marcelo Puppi, a Estrada do Mato Grosso é a segunda mais antiga do Paraná, e existia um imbróglio para saber de quem era a responsabilidade por ela. “No fim do mandado do ano passado da governadora Cida foi assinado um termo de referência para que fosse possível asfaltar. Quando imaginamos que seria apenas um recape, nos deparamos com um problema de engenharia. Vamos ter que trocar toda a pavimentação e, por isso, foi preciso contratar um projeto para fazer a base, galerias pluviais e tudo o que é necessário”, disse o prefeito à ao Jornal Metropolitano, da Rádio Banda B, que vai ao ar todo sábado (das 23h às 24h) e domingo (das 6h às 7h).

Por passar por um trecho urbano, o prefeito explicou que também serão colocados pontos de ônibus, calçadas e iluminação de excelência. Ele preferiu não dar um prazo para inicio ou entrega das melhorias. “Esperamos que aconteça neste ano, mas prefiro não marcar data, porque sempre que tem uma licitação não depende apenas da prefeitura. Se houver problemas burocráticos, de uma empresa impugnar a outra, pode atrasar tudo. Trabalhamos em tempo integral para solucionar o problema”, concluiu o prefeito.