O presidente da Associação de Bares e Casas Noturnas (Abrabar), Fabio Aguayo, fez duras críticas ao decreto de bandeira laranja estabelecido na tarde desta sexta-feira (4), que fecha os bares por pelo menos duas semanas em Curitiba. Para ele, a medida é “oportunista” e está sendo usada de forma política.

“Todos nós sabemos que no Brasil inteiro as pessoas foram às ruas, porque cansaram de ficar em casa. Todo o comércio está trabalhando, todo mundo está tentando voltar à normalidade, que é a normalidade que deixaram para nós. Então, o que eu quero dizer é que as pessoas não vão respeitar a bandeira laranja. Sabe por que? Porque as pessoas não vão estar em Curitiba, vão estar viajando. Essa é uma medida para inglês ver. Se na amarela já estava tendo festa clandestina, tudo de errado, só vai piorar”, afirmou.

 

Segundo a administração municipal, a decisão de mudar a cor da bandeira se dá diante do alto movimento na cidade e crescimento da taxa de transmissão.

Nas redes sociais, o prefeito Rafael Greca negou que a decisão seja política. “Não é uma decisão política, não é um questionamento de ser mais leve ou mais pesado por ser tempo de eleição. É uma determinação de respeito às equipes de saúde e de respeito a vida e saúde pública”, disse.