O médico do Grupamento Aéreo, Marcio Nogarolli, se emocionou ao falar do atendimento às vítimas do acidente que matou cinco pessoas e deixou uma sexta ferida, na manhã desta terça-feira (10), na BR-116, em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. “Confesso a vocês que estou há 35 anos nesta profissão e ainda não consegui me acostumar. No dia que me acostumar, eu paro. Trabalhamos para fazer com que as pessoas voltem para suas casas e quando não conseguimos é triste demais”, disse o médico.

(Fotos: PRF)

Nogarolli disse ainda que nesta época do ano, quando as famílias de reúnem para comemorar o Natal e o Ano Novo, o falecimento de alguém é ainda mais triste. “Não há época para se perder uma pessoa da família, mas no final de ano é ainda mais triste. Peço desculpas a vocês, pois a última coisa que se espera é que um médico se emocione, mas é muito triste”, afirmou, muito emocionado.

Ouça o áudio da entrevista com o médico do Grupamento Aéreo, Marcio Nogarolli:

O acidente

O acidente ocorreu por volta das 9h50 desta terça-feira (10), no quilômetro 94 da BR-116, na pista sentido Sul, cerca de mil metros antes da Unidade Operacional Contorno Leste da PRF, localizada no quilômetro 95.

Uma carreta colidiu inicialmente em um caminhão baú, empurrando este contra uma segunda carreta, que acabou por prensar um automóvel Honda Civic contra uma terceira carreta.

Dentro do carro havia quatro pessoas –três homens adultos e uma criança. Todos os ocupantes morreram.

O motorista do caminhão baú foi encaminhado a um hospital, mas faleceu durante o atendimento.

A vítima ferida foi o motorista da carreta que protagonizou a primeira colisão. Com ferimentos na perna, ele foi encaminhado ao Hospital Evangélico, em Curitiba.

Três médicos e 15 socorristas auxiliaram no socorro.