Emendas do rodapé desencaixadas, degrau da escada rolante com arestas cortantes, dentes do pente da escada quebrados. Estas são as três conclusões do laudo assinado pelo engenheiro mecânico Tiago Marcelo Araújo dos Santos, do Ministério Público do Estado do Paraná (MPPR), sobre as condições da escada rolante do Shopping Ventura, em Curitiba, onde ocorreram acidentes com duas crianças. O laudo foi emitido no dia 29 de novembro de 2019, mas só chegou ao advogado que defende as vítimas na última sexta-feira (10), coincidentemente, um dia depois do segundo acidente ocorrido com a pequena Yasmin, de 3 anos.

O último acidente foi registrado na quinta-feira (9). Yasmin sofreu ferimentos graves ao ter a perna rasgada por alguma peça da escada rolante. Ela ficou internada no Hospital do Trabalhador por quatro dias e foi necessária uma cirurgia para reparar os danos na perna causados pela escada. O caso aconteceu por volta das 22h30 da última quinta-feira (9), quando a família passeava pelo local e estava indo embora após verificar os filmes em cartaz no cinema. No ano passado, em novembro, um menino de 4 anos também se feriu no mesmo local e precisou levar 13 pontos.

Criança de 3 anos vítima do acidente na escada rolante – Foto: Defesa da família

“A gente estava passeando e fomos no shopping ver “Frozen 2″ que as minhas crianças queriam assistir, mas não estava em cartaz. Daí fomos embora, descemos e pra lá da metade da escada que aconteceu o incidente. Eu já tinha descido com meu pia de 7 anos e minha esposa vinha com minha filha”, contou Paulo César Ferreira de Carvalho, pai da vítima, que levou 20 pontos na perna.

De acordo com o advogado João Carlos de Castro, foi o segundo caso em dois meses no mesmo local. Ele representa as duas famílias, que entraram com pedidos para que a escada rolante seja interditada.

“O objetivo principal é entender o que aconteceu porque em certo ninguém sabe. Imagina-se que algum objeto cortante durante a viagem na escada na escada rolante está ocasionando este tipo de incidente. Com base no laudo do MPPR e a certeza que esta escada hoje oferece risco aos consumidores, a prioridade das famílias é que novos acidentes sejam evitados para que ninguém tenha que passar pela mesma dor”,  afirmou o advogado à Banda B.

Segundo advogado, o MPPR fez a solicitação de um laudo para o shopping, logo após o primeiro acidente, e também providenciou este outro laudo, que apontou uma série de irregularidades. Segundo o advogado, o laudo do shopping diverge da constatação do engenheiro do MPPR, mas sem dúvida houve negligência. “Há fotos com uma série de irregularidades na escada, inclusive com objetos cortantes. Sem dúvida, houve negligência por parte do shopping”, afirmou Castro.

Um dos trechos do laudo do MPPR, enviado à Banda B pelo advogado, diz:

“Foram vistoriadas as escadas localizadas próximo ao cinema do Shopping (onde ocorreu o acidente). Devido ao fato da visita ocorrer sem comunicação prévia a Administração do Shopping, não foi possível acessar a casa de máquinas dos equipamentos, uma vez que não havia a presença da empresa responsável pela manutenção dos equipamentos”, diz o laudo.

Suspeita de necrose na perna

O advogado informou ainda que os pais de Yasmim abriram o curativo na perna da filha nesta segunda-feira e constataram a hipótese de que a pele da perna estaria iniciando uma necrose. A criança irá passar por uma consulta com um médico particular nesta terça-feira. “Ontem, os pais tiveram a coragem de abrir o ferimento. Parece que foi constatada que a pele tem sinais de necrose. Com base nisso, hoje a criança vai a um médico particular que está sendo custeado pelo shopping para avaliar se haverá ou não a necessidade de uma nova intervenção cirúrgica”, completou Castro.

Resposta do MPPR

A Banda B procurou o Ministério Público do Paraná que informou que o órgão foi procurado por um representante da família (primeiro acidente) e foi aberto um procedimento para verificar a situação. O MP fez uma vistoria técnica, onde foram verificadas algumas irregularidades. Foi proposto então um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC).

No início do ano, o shopping disse que já fez os ajustes. O MP fará agora uma nova vistoria.

Resposta do Shopping

A Banda B procurou a assessoria do Shopping Ventura novamente nesta terça-feira, para se manifestar em relação às declarações do advogado das famílias. Leia a nota na íntegra:

“Os documentos enviados pelo Ventura Shopping comprovam que as melhorias apontadas pelo Ministério Público, no laudo emitido em 29 de novembro de 2019, foram implementadas de imediato, com a troca de peças e revisão do sistema de funcionamento da escada rolante em questão. Após o acidente ocorrido no dia 9 de novembro de 2019 e, de acordo com as vistorias realizadas pelo Ministério Público após as regularizações, não houve necessidade de interdição da escada rolante.

Ainda, a empresa responsável pelas manutenções do equipamento, Escarol Comércio e Manutenção de Equipamentos Ltda, também comprova que a escada rolante estava em perfeitas condições de uso e segue os padrões de segurança exigidos pelas normas técnicas da ABNT – conforme laudo emitido pela companhia especializada em 12 de novembro de 2019.

O shopping informa ainda que não houve nenhum outro registro anterior de incidente nesta escada e destaca que todas as providências para reforçar a segurança dos clientes foram tomadas. O empreendimento lamenta o incidente ocorrido na última quinta-feira (9/1) e reitera que está prestando assistência à família.

Além disso, está realizando uma nova avaliação técnica no equipamento e intensificando as ações de conscientização de uso adequado das escadas rolantes, principalmente quando utilizadas por crianças pequenas. Não pisar na faixa amarela e respeitar a indicação de apenas uma pessoa por degrau são algumas das recomendações dos especialistas e fabricantes.”